Seminário – Outras possibilidades de ação educativa nas escolas

Dezembro 27, 2013 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

porto

No dia 7 de janeiro de 2014 às 18h00, terá lugar na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP) o seminário “outras possibilidades de ação educativa nas escolas “.

Esta será a sétima sessão do Ciclo de seminários intitulado “Escola e pedagogia: Reflexões sobre o dizer e o fazer” e contará com a presença de Fernando Ilídio Ferreira (Universidade do Minho).

Este Ciclo de Seminários é uma organização do CIIE – Centro de Investigação e Intervenção Educativas.

Mais informações
CIIE – Centro de Investigação e Intervenção Educativas
Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
Universidade do Porto
Rua Alfredo Allen
4200-135 Porto – Portugal
T.| +351 220 400 615
E.| ciie_secretariado@fpce.up.pt
U.| www.fpce.up.pt/ciie

 

Aluno de 6 anos é acusado de assédio sexual por beijar uma colega na mão

Dezembro 26, 2013 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia da Visão de 11 de Dezembro de 2013.

Hunter Yelton tem 6 anos, estuda em Canon, no Colorado, e tem uma paixoneta por uma colega. A sua paixão acabou por ser revelada na sala de aula, um gesto amoroso que terminou numa suspensão de dois dias.

“Foi durante a aula.” Explica Yelton. “Fazíamos uma leitura em grupo, e eu curvei-me e dei-lhe um beijo na mão. Foi isso que aconteceu.”

A mãe de Hunter mostrou-se indignada. Referiu à KRDO-TV que o seu filho já tinha sido suspenso noutras ocasiões por mau comportamento. Mas ficou chocada quando soube que ele tinha sido acusado de “assédio sexual”, não vendo nada de anormal na sua atitude.

Robin Gooldy, um executivo distrital, referiu à Associated Press na terça-feira (10) que Hunter Yelton foi suspenso devido a uma política que existe contra o contacto indesejado.

“Geralmente tentamos fazer com que o aluno pare, mas se ele continua, nós temos de intervir e por vezes o nível vai crescendo até chegar à suspensão”, sublinha Goldy.

Crise e alargamento da escolaridade obrigatória podem aumentar situações de risco de menores

Dezembro 26, 2013 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Notícia do Açoriano Oriental de 12 de Dezembro de 2013.

A crise e o aumento da escolaridade obrigatória poderão determinar um aumento das situações de risco de crianças e jovens, admitiram esta quinta-feira responsáveis ligados a esta área, defendendo uma aposta na prevenção dos maus tratos, mas também da pobreza.

“É natural que potencie na medida em que naturalmente a crise implica ‘stress’, dificuldades e pode determinar um aumento das situações, embora não existam dados objetivos que o demonstrem”, disse o presidente da Comissão Nacional de Proteção das Crianças e Jovens.

Armando Leandro falava à margem do Encontro Regional das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens em Risco dos Açores, promovido pelo Governo açoriano, em Ponta Delgada.

Segundo o relatório anual, as Comissões de Proteção das Crianças e Jovens em Risco (CPCJR) nos Açores acompanharam em 2012 um total de 3.604 crianças e jovens, mais 452 do que em 2011.

Armando Leandro disse que é uma evolução “tal como no continente”, lembrando que “há casos que não chegam às comissões, porque são resolvidos na primeira linha, como é desejável”.

“De qualquer forma, uma maneira de combater a crise é efetivamente prevenir não só os maus tratos mas também a pobreza como elemento de risco e de perigo e as comissões são fundamentais para o progresso e desenvolvimento humano”, sustentou.

“É preciso que cada vez mais estes direitos passem da lei para a nossa consciência e ação”, frisou.

João Paulo Carreira, procurador da República, coordenador no círculo judicial de Ponta Delgada, salientou que os estudos revelam que “em contexto de especiais carências nota-se um acréscimo de situações problemáticas” que podem conduzir a um aumento também de processos.

Quanto à realidade dos Açores, disse que tal poderá significar que “existe uma maior consciência da comunidade relativamente à denúncia das situações que afetam os direitos e interesses dos menores”.

“É preciso sobretudo investir na prevenção. A educação é uma área primordial de intervenção. Temos de criar uma sociedade onde a educação e a instrução seja valorizada”, disse.

João Paulo Carreira admitiu, por isso, que o aumento da escolaridade obrigatória “é um novo desafio”, pelo que “é preciso criar uma sociedade onde a educação seja valorizada, onde 12 anos de escolaridade não sejam só no papel, sejam de facto uma realidade”.

Com o aumento da escolaridade obrigatória aumentou o universo dos jovens e de situações de perigo, nomeadamente aquelas que comprometem o direito à educação, com destaque para o absentismo escolar, que corresponde a 76,6% (183) dos casos, o abandono escolar com 23,0% (55) e uma situação de insucesso escolar, segundo o relatório anual das 19 CPCJ dos Açores.

A diretora regional da Educação, Graça Teixeira, disse, na sessão de abertura do encontro, que o absentismo e o abandono escolar constituem “uma preocupação muito particular” nas escolas açorianas, frisando que associados àqueles dois fenómenos “estão muitas das problemáticas relacionadas com negligência”.

Graça Teixeira frisou que “nos últimos anos a Direção Regional da Educação, com a revisão do currículo da edução básica e a criação de percursos alternativos e de programas de recuperação de escolaridade, aumento da oferta formativa dos cursos profissionais ou profissionalmente qualificantes e ainda com o seu sistema de ação social escolar, viu já diminuídos os números do abandono escolar”.

No entanto, “muito há ainda a fazer” para superar o desafio, acrescentou.

Genes influenciam mais as notas do que pais ou professores revela estudo britânico

Dezembro 26, 2013 às 6:00 am | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , , ,

Notícia da RTP Notícias de 12 de Dezembro de 2013.

Estudo mencionado na notícia:

Strong Genetic Influence on a UK Nationwide Test of Educational Achievement at the End of Compulsory Education at Age 16.

Notícia do King’s College London

Differences in students’ GCSE scores owe more to genetics than environment

Lusa

Os genes influenciam mais as notas dos estudantes do ensino secundário do que “os professores, as escolas ou a família”, segundo um estudo divulgado na quarta-feira pelo King`s College de Londres.

Os autores do estudo analisaram a importância da genética no êxito escolar e, para isso, utilizaram como amostra as notas de mais de 11.000 exames de alunos de 16 anos do ensino secundário.

Em disciplinas como inglês, matemática, ciência, física, biologia e química, os cientistas descobriram que os genes influenciam mais nas notas (em 58%), enquanto em matérias de humanidades, como arte e música, os genes contam 42%.

Apesar de destacar o peso dos genes no sucesso escolar, o estudo esclarece que o ambiente em que vive o aluno também é importante, pois influencia as notas em 36%, referindo também a importância das escolas.

“A pergunta a que estamos a tentar responder é: porque é que há diferenças entre os alunos nos exames do fim do secundário? Pensamos imediatamente: são as escolas. Mas se as escolas fossem o único fator, os alunos da mesma turma teriam todos as mesmas notas”, salientou Robert Plomin, autor do estudo.

Para resolver a questão, os autores do estudo analisaram as notas obtidas num exame para o Certificado Geral de Educação Secundária (GCSE, na sigla em inglês) por dois gémeos que partilhavam 100% dos seus genes e outros dois que partilhavam apenas metade dos genes. Os quatro gémeos cresciam num ambiente similar.

5 segredos da melhor educação do Ocidente

Dezembro 25, 2013 às 8:05 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Artigo do site Educar para Crescer de 4 de Dezembro de 2013.

Maurício Melo

Em entrevista exclusiva para o Educar, a Ministra da Educação e da Ciência da Finlândia revela as diretrizes de seu sistema educacional

Texto Cynthia Costa

Você acredita que a necessidade é a mãe da inovação? Na Finlândia, aquele longínquo país nórdico entre a Rússia e a Suécia, a grande inovação do século 20 foi uma educação de qualidade – tanto, que há anos a terra do Papai Noel sempre ocupa bons posicionamentos no PISA (Programme for International Student Assessment, ou Programa de Avaliação Internacional de Alunos). Na edição de 2012 dessa avaliação promovida pela OCDE, a Finlândia conquistou o 5º lugar em Ciências, o 6º em Leitura e o 12º em Matemática – mais um resultado admirável da pequenina nação, a primeira entre as ocidentais a aparecer no ranking de Leitura.

E que necessidade levou a isso? “Depois da guerra, estávamos pobres, sem recursos naturais. A maior riqueza que tínhamos era a própria nação. Por isso, investimos em uma boa educação”, explica Krista Kiuri, Ministra da Educação e da Ciência da Finlândia, falando com exclusividade ao Educar.

Desde o fim da década de 1960, quando o governo finlandês – em regime parlamentar com inclinação política à esquerda – resolveu que precisava de um sistema em que todas as crianças fossem contempladas, os investimentos nunca pararam. Mas a Ministra pondera: “Não se trata apenas de um aspecto econômico. Valorizamos a formação dos professores, o seu trabalho e o seu papel para a educação”. Quanto aos brilhantes resultados do país em pesquisas mundiais, como o PISA, Kiuri não demonstra tanta tranquilidade assim. “Nem sempre é fácil ser o primeiro lugar”, diz ela modestamente, referindo-se à responsabilidade de se manter no topo do ranking.

O Brasil e a Finlândia são, claro, países bem diferentes. Não apenas a nossa população é 40 vezes maior do que a da nação escandinava, como nós também somos fruto de uma trajetória bastante diversa. Mas que conselho a Sra. Kiuri poderia dar para a melhoria da nossa educação? “A boa educação emerge, primeiro, de um projeto político”, lembra a Ministra.

A seguir, veja pontos essenciais que garantem a educação de qualidade da Finlândia.

Finlândia em números

– 5,4 milhões de habitantes em 2012
– Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em 2012: 0,892 (21º mais elevado do mundo)
– 2.717 escolas
– 20 universidades e 30 escolas superiores politécnicas
– Em 2011(última estatística publicada), o investimento do governo com a educação foi de 11,9 bilhões de euros
– Escola obrigatória entre as idades de 7 e 16 anos
– Praticamente 100% são alfabetizados no país
– Único país tetracampeão no PISA: entre 2000 e 2010, ficou quatro vezes em primeiro lugar entre todos os países do mundo* (duas vezes no critério Ciências, uma vez em Matemática e uma vez em Leitura). Em todos as edições, foi o melhor país ocidental em todos os critérios.
*Lembrando-se que cerca de 70 economias (número que varia entre edições) participam do PISA, entre as quais o Brasil, que ocupou a 58ª posição entre 65 países na última edição. Há três critérios avaliados separadamente: Ciências, Matemática e Leitura.

Para ler, clique nos itens abaixo:

1. “Nenhum aluno é deixado para trás”

Este não é apenas um slogan. A intenção do sistema educacional finlandês é buscar a igualdade, não a meritocracia. “Não investimos apenas nos melhores. O potencial de todos é levado em conta”, ressalta Krista Kiuri, completando: “O aluno pode se tornar um político, um matemático, um artista. Sabemos que todos colaborarão de alguma maneira com a sociedade”.

2. Valorização dos professores

Todos os professores são altamente qualificados, em geral têm no mínimo diploma de mestrado e recebem salários razoáveis – cerca de 3 mil euros mensais, o que não fica nem muito acima nem abaixo de outros salários no país. “Respeitamos os nossos professores e os tratamos como profissionais. Também investimos em sua boa formação”, declara a Ministra.

3. Confiança nos professores e nos alunos

Sobretudo nos últimos 20 anos, os professores finlandeses têm ganhado cada vez mais autonomia: desde que cumpram o chamado “currículo nacional”, ou seja, o conteúdo programático das disciplinas, garantindo que todos os alunos o aprendam, os mestres têm liberdade para planejar as suas aulas e até para escolher métodos. Nem o governo nem os pais seguem neuroticamente os passos de alunos e professores – há apenas um exame nacional, no fim do Ensino Médio, que mede o aprendizado.

4. Alfabetização eficaz

O método de alfabetização adotado na Finlândia em geral é o silábico (primeiro os alunos aprendem as letras, depois sílabas, palavras, frases e, por fim, textos), o que tem se mostrado bastante eficaz, seja porque é o mais apropriado para o idioma finlandês ou graças à maneira como é aplicado. Não se espera que as crianças sejam alfabetizadas antes dos sete/oito anos de idade. Na primeira rodada de resultados do PISA, no ano 2000, a Finlândia já apareceu em primeiro lugar no quesito Reading (Leitura). De lá para cá, tem variado entre primeiro, segundo e terceiro lugares no ranking.

5. Educação pública

Não há interesse em tirar a educação do domínio público na Finlândia. Apenas 2% das escolas são particulares, e unicamente porque se especializaram em algum tipo específico de educação. Os outros 98% são totalmente públicos e descentralizados – municípios podem adotar diretrizes próprias, desde que obedeçam ao currículo nacional.

PISA 2012

 

Sistema de Mediação Familiar – Filme de simulação do funcionamento do sistema de Mediação Familiar

Dezembro 25, 2013 às 12:10 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

 

Sou mãe de um sobredotado

Dezembro 25, 2013 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Notícia da Sábado de 12 de Dezembro de 2013.

Clicar na imagem

sabado_pag_

 

Concurso: “Vamos Ilustrar um Livro” dirigido a crianças da CPLP (Idade: 3 – 6)

Dezembro 24, 2013 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

livro

Lançada a 1ª edição do Concurso “Vamos Ilustrar um Livro” dirigido a crianças da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa com idades compreendidas entre os 3 e os 6 anos que frequentem Jardins de Infância (JI) ou estabelecimentos equiparados, públicos ou privados. Para participar é necessário proceder à inscrição do estabelecimento de ensino em www.eudactica.com, até 28 de Fevereiro de 2014. Logo após, será enviado para o coordenador de projeto ao nível de JI o texto original do livro “Nos Braços da Amizade” que deverá ser ilustrado pelos alunos concorrentes. Pretende-se que, com base nos textos que compõem a obra, os pequenos ilustradores produzam trabalhos inéditos de desenho e pintura em cartolina. Os trabalhos vencedores integrarão as ilustrações do conto que será publicado pela EUDACTICA no decorrer de 2014… e claro, também haverá mais prémios para os vencedores! Consulte o Regulamento e saiba mais em www.eudactica.com

Newsletter n.º 63 do Portal da Criança

Dezembro 24, 2013 às 5:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

portyal

Artigos e notícias da Newsletter n.º63 do Portal da Criança:

Comer a Língua – Centro Cultural Vila Flor – Guimarães

Um conto de Natal – BM Ferreira de Castro – Oliveira de Azeméis

Natal, Livros e Tal – BM Ferreira de Castro – Oliveira de Azeméis

Um Natal especial – Museu do Teatro – Lisboa

Ateliers nas Bibliotecas de Lisboa – Bibliotecas de Lisboa

Concerto de Natal – Teatro das Figuras – Faro

 Aprenda Inglês no Encounter English

Aprender uma língua estrangeira logo desde cedo é meio caminho andado para um futuro mais comunicativo. As crianças interiorizam com mais facilidade, nunca mais esquecem. Estudos revelam que, quanto mais cedo uma criança iniciar a aprendizagem de uma segunda língua, mais perto da língua materna esta fica registada, o que lhes permite, no futuro, utilizá-la com maior naturalidade. É, por isso, um investimento para toda a vida!

Este Natal ofereça uma prenda que faça a diferença.

Temos cursos para crianças, a partir dos 4 anos.

Porto: 225 367 916; 933 395 084 | Sra. da Hora: 229 542 675; 934 119 771

info@encounterenglish.com | www.encounterenglish.com

O Espírito do Natal

Estava o Senhor Teotónio, que era rico, muito gordo e grande fumador de charutos, a carregar o carro com os presentes que passara a manhã a comprar para os filhos, para os sobrinhos e para as muitas pessoas com quem fazia negócios, quando se aproximou dele um homem pobre, idoso e magro, que prontamente obteve dele esta resposta:

— Comigo não perca tempo porque não tenho dinheiro trocado, nem alimento falsos mendigos.

“O Espírito do Natal”  [ler história]

 

Mercado de Natal Amigo da Terra chega a Almada
Abriu mais uma edição do Mercado de Natal Amigo da Terra. A iniciativa celebra 10 anos e decorrerá na Oficina de Cultura e Praça S. João Batista. A entrada é gratuita.

Os visitantes vão poder encontrar sugestões amigas do planeta, construir as próprias prendas e decorações para esta quadra, reutilizando materiais e poupando na economia familiar.

Os produtos, produzidos com preocupações ambientais ou sociais e materiais de qualidade, vêm de todos os cantos de Portugal e são para todas as idades. O evento contará também com a presença de várias instituições de solidariedade do concelho.

Entre as diversas atividades previstas, mais de 50 artesãos e criadores de todo o país vão ensinar os visitantes, em cerca de 20 oficinas, a criar presentes para aqueles de quem mais gostam. Abertos à participação de todos, estes workshops vão reutilizar materiais, despertar a imaginação e ajudar a poupar o ambiente e a carteira.

No Mercado de Natal Amigo da Terra vai ser ainda possível adotar amigos de quatro patas.

Saiba mais informações em www.apambiente.pt

Museu da Ciência está de Parabéns!
Os 30 Mais Incríveis Museus Universitários do Mundo!

O Museu da Ciência da Universidade de Coimbra foi considerado um dos 30 melhores museus universitários. Mais uma vez, está de parabéns!

Saiba mais sobre esta distinção em www.museudaciencia.org

 

Semana da Avenida decorre de 14 a 21 de Dezembro
Este Natal venha passear à Avenida da Liberdade

Entre os dias 14 e 21 de Dezembro, a Avenida da Liberdade vai ser vivida de maneira diferente.

Nesta época de Natal, são muitas as atividades que vão dar ainda mais vida a esta que é uma das principais avenidas de Lisboa.

A organização de todas as atividades é da Associação Passeio Público e esta iniciativa pretende: Devolver o passeio público à cidade… tal como era, e fazer deste um ponto de encontro privilegiado onde os lisboetas se reúnem para conversar, passear e fazer compras.

Acompanhe o programa e as atividades em: www.facebook.com/passeiopublicolisboa

 

Vídeo sobre bullying da France 5 – Le Monde en face : Harcèlement à l’école

Dezembro 24, 2013 às 12:00 pm | Publicado em Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

 

« Página anteriorPágina seguinte »


Entries e comentários feeds.