Concertos para Bebés Uma Casinha que Toca no Centro Cultural Olga Cadaval

Outubro 16, 2013 às 10:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

concerto

Concertos para Bebés
Um projeto de Paulo Lameiro
10h00 & 11h30 | Palco Auditório Jorge Sampaio

Uma Casinha que Toca | 20 de outubro | Solistas Mário Laginha – Piano

Outubro é mês de Jazz nos Concertos para Bebés. Ali bem no centro da nossa sala de estar, onde bebés se cruzam com os intérpretes músicos e bailarinos, nasce uma casinha de madeira. Uma casinha toda feita de um preto brilhante, mas recheada de estrelas cadentes muito luminosas.
Quem lá vive é o Mário. O amigo Mário Laginha que gosta muito de tocar piano! (piano é nome desta casinha inventada há muitos anos por um senhor chamado Bartolomeo Cristofori).

Os Concertos para Bebés são uma produção portuguesa pioneira no domínio das artes performativas para a primeira infância. Tiveram início em novembro de 1998 numa cidade no centro de Portugal, Leiria, e é seu autor o professor e musicólogo Paulo Lameiro. Têm a sua origem no trabalho com bebés desenvolvido pela Escola de Artes SAMP desde 1991 no programa «Berço das Artes» e são fortemente inspirados pela «Teoria de Aprendizagem Musical» do professor e pedagogo norte-americano Edwin Gordon.
Depois de percorrerem as principais salas de concerto portuguesas estão presentes na programação de algumas das principais salas de concerto da Europa.

Indicado para crianças dos 3 meses aos 3 anos

Preços:
Adulto + bebé até 18 meses (42 lugares em almofadas): 17,50 euros
Adulto + bebé dos 19 aos 47 meses (33 lugares em almofadas): 17,50 euros
Público com mais de 47 meses (105 lugares em cadeiras): 12,50 euros
Sem descontos.
Aos bebés até aos 47 meses só será permitida a entrada com bilhetes de almofada.

Para ligar diretamente para a página de compra deste espetáculo na Ticketline clique AQUI

Mercadinho dos Talentos no CCB

Outubro 16, 2013 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

mercadinho

1 Set 2013 – 11:00 às 17:00
1 Dez 2013 – 11:00 às 17:00


Jardim das Oliveiras
Entrada livre
mediante inscrição

No Jardim das Oliveiras, vamos ter um palco para ti, onde o centro das atenções és mesmo tu! Aqui poderás mostrar os teus talentos, os teus projectos, a solo ou partilhados com os teus amigos e colegas. Traz contigo a guitarra, a mala dos truques de magia, o pincel e as tintas, o caderno de poemas, as bolas de malabarismo ou qualquer outra coisa para a qual tenhas um dom especial.
Podes também trocar ou vender as traquitanas que já não queres, até 1€.

Palco do mercadinho procura candidatos
Fazes parte de uma banda? A tua escola tem um grupo de teatro?
Se tu ou a tua escola quiserem subir ao palco, enviem-nos as propostas para fabricadasartes@ccb.pt ou contactem-nos pelo telefone 213 612 899.
Os melhores projectos serão seleccionados.

INSCRIÇÕES
As inscrições devem ser feitas pelos telefones +351 213 612 899/ 898 ou pelo fax +351 213 612 859.
fabricadasartes@ccb.pt
Contactos > Maria José Solla | Manuel Moreira | Tânia Guerreiro
Todos os dias úteis das 11:00 às 13:00 e das 15:00 às 18:00.

Apresentação dos “Cadernos 2013 – das palavras aos atos…”

Outubro 16, 2013 às 4:00 pm | Publicado em Publicações IAC-CEDI | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

No próximo dia 17 de outubro, o Instituto de Apoio à Criança (IAC) vai estar presente no Conselho da Europa, em Estrasburgo, no âmbito da apresentação dos “Cadernos 2013 – das palavras aos atos…”, iniciativa que pretende dar voz às pessoas mais excluídas. O IAC será representado pela Dra. Dulce Rocha, Dra. Isabel Porto (Projecto Rua) e Jéssica Oliveira (Embaixadora portuguesa da iniciativa).

2013

InfoCEDI n.º 47 subordinado ao tema Educação Rodoviária

Outubro 16, 2013 às 1:08 pm | Publicado em Publicações IAC-CEDI | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

edu

Já está disponível para consulta e download o nosso InfoCEDI n.º 47. Esta é uma compilação abrangente e actualizada de dissertações, estudos, citações e endereços de sites sobre Educação Rodoviária .

Todos os documentos apresentados estão disponíveis on-line e pode aceder a eles directamente do InfoCEDI, Aqui

Medir o progresso na Luta contra o Trabalho Infantil : Estimativas e tendências mundiais 2000-2012

Outubro 16, 2013 às 12:00 pm | Publicado em Relatório | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

ilo

Descarregar o relatório aqui

Em todo o mundo, um número demasiado elevado de crianças continua armadilhado no trabalho infantil, comprometendo, assim, o seu futuro individual e o futuro coletivo. As novas estimativas apresentadas no presente Relatório indicam que 168 milhões de crianças em todo o mundo são crianças trabalhadoras; este número representa cerca de 11 por cento da totalidade da população infantil. As crianças que executam trabalhos perigosos que colocam diretamente em risco a sua saúde, a sua segurança e o seu desenvolvimento moral perfazem cerca da metade das crianças trabalhadoras, com um total de 85 milhões em termos absolutos. O risco de trabalho infantil é o mais elevado para as crianças na África subsariana, onde 1 em cada 5 crianças está no trabalho infantil. No conjunto, os resultados apresentados no presente Relatório não deixam dúvidas de que um mundo sem trabalho infantil é ainda uma realidade muito longínqua.

60 anos da História de Portugal em cromos na Biblioteca Nacional

Outubro 16, 2013 às 11:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,
Capa da 1.ª edição da caderneta «História de Portugal», impressa pela Fotogravura Nacional, em outubro de 1953

Capa da 1.ª edição da caderneta «História de Portugal», impressa pela Fotogravura Nacional, em outubro de 1953

Texto publicado no site da Biblioteca Nacional

MOSTRA | 3 -31 outubro | Sala de Referência | Entrada livre

ENCONTRO | 18 outubro | 18h00 | BNP | Entrada livre

Mostra comemorativa dos 60 anos da primeira edição da História de Portugal em cromos (outubro de 1953), uma coleção de 203 cromos vendidos em envelopes-surpresa, que teve edições sucessivas até 1973. Esta mostra inclui os originais da capa da caderneta e de alguns cromos, várias edições das próprias cadernetas e os respetivos envelopes-surpresa, e ainda diversos impressos e publicações que reproduziram ilustrações da coleção.

O seu ilustrador é Carlos Alberto Santos, hoje um reputado pintor especializado em temas históricos, estando representado em coleções privadas e museus em Portugal e no estrangeiro. Nascido em 1933, começou o seu percurso artístico muito jovem como  desenhador. Em 1953, após três anos de trabalho, completou a História de Portugal para a Agência Portuguesa de Revistas.  A publicação constituiu o maior êxito da conhecida editora  no campo do cromo e tem hoje um estatuto mítico nas memórias dos que a colecionaram durante os 20 anos em que foi vendida.

santosA mostra é organizada por João Manuel Mimoso, colecionador de cadernetas de cromos, e Leonardo De Sá, perito em banda desenhada e ilustração, e será acompanhada de um catálogo em formato e-book.

Ainda neste âmbito, realiza-se, no dia 18 de outubro, um pequeno encontro em que se homenageará o desenhador e ilustrador Carlos Alberto Santos, que contará com a presença do próprio. Leonardo De Sá fará uma intervenção sobre o percurso artístico do ilustrador e João Manuel Mimoso abordará o seu trabalho quer na História de Portugal em cromos, quer noutras coleções de cromos (publicadas e não publicadas) que ilustrou, a que se seguirá uma breve visita guiada à exposição.

Os mesmos especialistas têm em preparação uma exposição alargada sobre O cromo em Portugal, para novembro de 2014, igualmente na BNP.

Oito motivos para não criar um perfil no Facebook para uma criança

Outubro 16, 2013 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Artigo do site Tech Tudo de 22 de Setembro de 2013.

face

Gabriela Viana

Com a diversidade de meios de acesso à Internet, é comum ver crianças navegando pela web com total autonomia e acessando redes sociais como o Facebook, por exemplo. No entanto, permitir a entrada “precoce” dos pequenos no mundo online, pode não ser uma boa ideia. O TechTudo reuniu motivos pelos quais a rede pode apresentar riscos para crianças.

Cuidado especial com privacidade protege crianças na Internet; veja dicas

1. O Facebook é proibido para menores de 13 anos

De acordo com as regras de uso do próprio Facebook, apenas adolescentes a partir de 13 anos podem criar uma conta na rede social. Apesar de não existir um consenso sobre a idade ideal, o objetivo é permitir apenas a entrada de pessoas que, mesmo ainda muito jovens, já sejam capazes de separar o certo do errado e fazer escolhas baseadas nos seus valores.

De acordo com a coordenadora do Childhood Brasil, Erika Kobayashi, que trabalha em programas sobre proteção infantil como o “Navegar com Segurança”, os responsáveis precisam ficar atentos. “É importante que os pais monitorem seus filhos, e que eles sigam as regras básicas estipuladas pelas redes. É muito importante ter a consciência de que as crianças interagem de muitas formas diferentes e que isso representa perigos”, afirma.

2. Privacidade de fotos e posts expostos

Outro motivo para manter as crianças menores de 13 anos fora do Facebook diz respeito à privacidade de posts e fotos nas redes sociais. É que, mesmo que a nova geração já tenha nascido no mundo online, informações importantes como a configuração de privacidade, podem passar despercebidas se um adulto não ‘blindar’ o perfil do menor como privado.

“Crianças sozinhas em fotos de perfil ou nos álbuns jamais, isso é uma regra básica. Também vale não disponibilizar publicamente as imagens delas em alta resolução. Cibercriminosos podem usar as fotos de boa qualidade para montagens, ou disponibilizá-las em sites de conteúdo abusivo e pornográfico”, disse Kobayashi. Além disso, manter públicas fotografias de crianças pode ajudar outras crianças que praticam bullying a usá-las de forma inadequada.

3. Rastreamento e localização fácil

As conversas em chats, em geral, oferecem a localização dos usuários na hora de enviar uma mensagem via dispositivos móveis (smartphones e tablets) e alguns computadores. Sem o bloqueio dessas funções, as crianças também podem se tornar alvo fácil de localização.

Além disso, a publicação imediata de fotos – ou os marcadores de fotos – com locais indicados no Facebook, também contribui para localizar esses usuários facilmente.

4. Contato facilitado com estranhos

Uma das funções básicas do Facebook é aproximar pessoas conhecidas e permitir que o usuário conheça outras novas por meio da plataforma. Por isso, qualquer pessoa pode ter acesso ao perfil de uma criança, inclusive desconhecidos, se tiver conta na rede social.

“Os pais precisam ficar atentos aos contatos na rede social. É necessário orientar a criança a não abrir a webcam para qualquer um, assim como não contar detalhes da vida pessoal. Mas o principal, é o que vale na rua também: não conversar com estranhos”, orienta Kobayashi.

5. Bullying, assédios e abusos

Nas redes sociais, atitudes como o ciberbullying, o bullying virtual, se tornaram muito mais corriqueiras, assim como assédios e abusos. Por isso, a orientação para ter cuidado com o que é publicado, curtido, compartilhado e comentado na rede social é extremamente válido.

O Facebook mantém campanhas que orientam os usuários a não praticar bullying e avisar ao site sobre atitudes ofensivas. É possível denunciar posts, fotos, vídeos e perfils na rede social.

Assim, as configurações de controle de fotos, a privacidade do perfil e a divulgação da localização da criança se tornam fatores cruciais para a preservação da mesma online.

6. Spam, pornografia, violência

O Facebook não possui ferramentas de controle dos pais na rede. Dessa forma, a criança fica “livre” para ter o acesso à quaisquer conteúdos abusivos disponíveis publicados por outros usuários. E, engana-se quem pensa que isso significa apenas pornografia. Fotos, textos, grupos de discussão e vídeos violentos também circulam pela rede social, e aos montes.

Há também políticas internas para denunciar esse tipo de conteúdo inadequado na rede social. Porém, a ferramenta de alerta não garante que o site fique livre de imagens e textos abusivos que se reproduzem e se renovam todos os dias pelas mãos dos próprios usuários.

7. Links maliciosos, plugins e golpes

O número de golpes, links e plugins maliciosos no Facebook também é grande. Em geral, eles vêm acompanhados de imagens atrativas ou promoções que prometem viagens, smartphones e uma infinidade de outros prêmios. Tudo isso chama a atenção de usuários das mais variadas idades, incluindo crianças que buscam por jogos e outras brincadeiras.

Ao acessarem tais links e serem vítimas de golpes, os pequenos podem acabar divulgando dados pessoais ou adquirindo algum vírus para o dispositivo que usam para acessar a web.

8. Conteúdo pago com dados do cartão dos pais

Os jogos são um dos maiores atrativos para crianças no Facebook. No entanto, alguns conteúdos deles podem ser pagos na rede social. Fazendo uso do cartão dos pais, mesmo quando autorizado, a criança pode disponibilizar dados indevidos, ser vítima de novos golpes bancários e vírus, ou mesmo fazer “compras” acima do limite dado pelo pai ou pela mãe.

É preciso estabelecer limites

Ainda de acordo com Erika Kobayashi, nem sempre as redes sociais são vilãs. Segundo a especialista, há muita coisa boa que a criança pode aprender usando a web e as redes sociais. Mas, para isso, é importante ter uma fiscalização dos pais, que precisam navegar junto com essas crianças e criar limites para o espaço que a Internet ocupa na vida delas.

“É importante que os pais também definam um tempo de navegação. O uso excessivo da web, em geral, pode acarretar outros problemas, como distúrbios do sono, por exemplo”.

 

 

 


Entries e comentários feeds.