Exposição 360º Ciência Descoberta + Oficinas + Visitas para escolas

Março 14, 2013 às 8:00 pm | Publicado em Divulgação, Vídeos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

360

360º – Ciência Descoberta é uma exposição sobre a ciência ibérica na época dos descobrimentos. Apresenta os desenvolvimentos científicos e técnicos associados às grandes viagens oceânicas de Portugueses e Espanhóis nos séculos XV e XVI, e o impacto que causaram na ciência europeia. A exposição procura mostrar os diversos factores que modelaram as ideias e as práticas dos ibéricos nesse período – o fascínio com as novidades do mundo natural americano e asiático, a crítica do saber antigo, o estabelecimento de novas práticas empíricas, a disseminação de conceitos científicos pelos estratos menos instruídos da sociedade, os melhoramentos técnicos, os processos e as instituições de acumulação e gestão de novos conhecimentos – e como estes aspectos jogaram um papel significativo no nascimento da modernidade científica europeia.

O título – 360º – Ciência Descoberta – faz referência ao núcleo principal da exposição, isto é, o estabelecimento pelas nações ibéricas de rotas marítimas de escala planetária, e os novos horizontes científicos que elas abriram aos europeus. A exposição estará organizada em torno de quatro zonas temáticas:

1. A imagem do mundo antes das viagens marítimas;

2. O contacto com as novidades da geografia, da botânica, da zoologia, etc.;

3. a criação de novas disciplinas de base matemática e os desenvolvimentos tecnológicos;

4. O impacto da nova imagem do mundo no surgimento da ciência moderna.

Mais informações Aqui

Entrevista de Dulce Rocha à TSF

Março 14, 2013 às 3:00 pm | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Entrevista à Drª Dulce Rocha, Vice-Presidente do Instituto de Apoio à Criança na TSF no dia 14 de Março de 2013.

tsfOuvir a entrevista Aqui

Crianças cada vez mais preocupadas com a crise

A vice-presidente do Instituto de Apoio à Criança (IAC), Dulce Rocha, revela que muitas crianças ligam para a Linha SOS Criança «dizendo que têm muito medo (…) porque os pais discutem muito» e relacionam essa situação com o desemprego.

Só em 2012, a Linha do IAC recebeu 311 telefonemas de crianças preocupadas também por se verem privadas de bens que antes tinham. Dulce Rocha diz que as crianças têm receio de falar com os pais, temendo agravar as discussões e por isso, recorrem à linha telefónica.

Na maioria, são menores com idade entre os 10 e 12 anos e que ainda se queixam de ficarem sozinhos, trancados em casa, enquanto os pais vão trabalhar.

IAC: 30 anos ao serviço da Criança

Março 14, 2013 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , , ,

so_logo_iac

O Instituto de Apoio à Criança foi fundado em 1983 com o objetivo fundamental do desenvolvimento integral da Criança e a Defesa dos seus Direitos, procurando em cada momento ser a Voz que chama a atenção, pressiona, atua, realiza ações que ajudem a que mais Crianças vivam com alegria o tempo de ser Crianças.

Um grupo de pessoas de diferentes áreas profissionais, médicos, magistrados, professores, psicólogos, técnicos de serviço social, educadores – deram vida a um Projeto novo de esperança de um mundo melhor, para as nossas Crianças, onde a paz, a dignidade, a tolerância, a igualdade e a solidariedade fossem uma realidade mais sentida e realizada no dia-a-dia por todos nós.

De salientar que o IAC foi criado em 1983 e só em 1989 foi aprovado pelas Nações Unidas a Convenção dos Direitos da Criança.

Em Portugal, como acontece na maioria dos outros países é hoje notória uma maior preocupação pela criança, encarada como sujeito de direitos. Direitos que abrangem não apenas os direitos civis, mas também os económicos, culturais e sociais e até novos direitos como o direito a um ambiente saudável, onde a criança possa crescer e desenvolver-se equilibradamente.

Nesse caminho percorrido em defesa de melhores condições, de mais bem-estar, e de mais dignidade para a infância, o Instituto de Apoio à Criança tem também o seu lugar.

Fundamentalmente com programas de informação e sensibilização, mas também com uma aposta muito forte em projetos de intervenção direta, em áreas não cobertas anteriormente pelo Estado, nem por outras entidades. Nesta perspetiva o problema das crianças em risco, abandonadas ou maltratadas ou abusadas sexualmente foi desde logo a nossa grande prioridade.

Com o nosso impulso, pela primeira vez se falou, pública e pluridisciplinarmente de problemas gravíssimos que atingem as nossas crianças como por exemplo a criança maltratada e vítima de abuso sexual, assim como a divulgação de experiências de intervenção comunitária e as várias formas de acolhimento às crianças em idade pré-escolar. De salientar o dinamismo dos Projetos de Trabalho de Rua em Família para Crescer, único projeto inovador aprovado para Portugal em 1989 ao abrigo do Programa de Luta Contra a Pobreza da Comunidade Europeia, o SOS – Criança (116 111) que não existia em Portugal e através do qual desde 1988 muitas Crianças têm sido salvas, o SOS – Criança Desaparecida (116 000). Desde 2001 o IAC integra a Federação Europeia para as Crianças Desaparecidas e Exploradas Sexualmente.

Também a Atividade Lúdica com mais de 700 espaços lúdicos criados pelo IAC e a Humanização dos Serviços de Atendimento à Criança em Pediatria, têm tido o maior dinamismo por todo o país, através do qual por exemplo se tem procurado ajudar a criar um ambiente de mais conforto e calor humano para as nossas Crianças e Jovens e suas Famílias. De salientar, neste aspeto a Carta da Criança Hospitalizada que está em todos os Hospitais Pediátricos e Centros de Saúde.

O IAC tem ainda o Centro de Estudos, Documentação e Informação sobre a Criança que utilizando os meios informáticos mais atuais apoia técnicos de diferentes instituições, alunos de diferentes graus de ensino, especialmente do ensino superior, comunicação social e a comunidade em geral.

O Serviço Jurídico destaca-se pelo atendimento e encaminhamento jurídico de casos concretos e a divulgação da legislação relativa à criança, como é exemplo a publicação da 3ª edição do Guia dos Direitos da Criança, compilação de toda a legislação existente sobre a Criança. Na área das Relações Externas o IAC promove e desenvolve contactos com entidades nacionais e internacionais preocupadas com as políticas de proteção à infância e juventude

A Defesa e Promoção dos Direitos da Criança é sempre o nosso grande objetivo e prioridade e atento às novas realidades do nosso tempo, o IAC apresentou já na Assembleia da República um documento sobre o Superior Interesse da Criança, no sentido de que se faça uma reflexão profunda sobre esta área, quando estão em conflito diferentes interesses, como por exemplo o caso dos pais biológicos e os afetivos ou divórcio ou separação dos pais.

De mãos dadas com outras instituições, dividindo e comungando saberes, damos assim voz às pessoas que trabalham no terreno, fomentamos redes informais e projetos inovadores, num profundo sentido de responsabilidade e consciência cívica.

Com a meta de contribuirmos para a construção de um futuro menos doloroso para as nossas crianças, o IAC, hoje, continua a caminhada, e quer fazer mais e melhor, quer chegar cada vez mais longe procurando estimular, apoiar e divulgar o trabalho de todos aqueles que se preocupam com a procura de novas respostas para os problemas da infância em Portugal.

Com saber técnico e amor continuaremos a implementar a utopia de servir a CRIANÇA.

Manuela Ramalho Eanes

Presidente do Instituto de Apoio à Criança

PDF: Aniversário do IAC

PDF: Poema de Matilde Rosa Araújo

Crianças preocupadas com a situação financeira dos pais pedem ajudam à linha SOS Criança

Março 14, 2013 às 10:31 am | Publicado em O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Notícia da SIC Notícias de 14 de Março de 2013.

O Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do  Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança), comenta a notícia.

Cerca de 300 crianças ligaram em 2012 para a Linha SOS Criança, do Instituto de Apoio à Criança, preocupadas com a situação socioeconómica dos pais, um número que aumentou quase 8% em relação a 2011.

O número consta nos dados estatísticos relativos ao ano passado e que  mostram que o Instituto de Apoio à Criança (IAC) apoiou 6.872 crianças,  entre a Linha SOS Criança (2.760), mediação escolar (3.610), Linha da Criança  Desaparecida (53), correio eletrónico (389) e atendimento psicológico (103).

Dos mais de 2.700 telefonemas feitos para a Linha SOS Crianças, 311  (11%) foram feitos por crianças que ligaram a pedir apoio, a maioria das  quais por causa da situação socioeconómica dos pais, fruto das dificuldades  económicas pelas quais o país atravessa.

“As crianças desenvolveram assim quase como que a ideia de um síndrome  de um mundo mau e começaram a ficar preocupadas com medo que os pais pudessem  perder o emprego e ligaram mais com esse tipo de preocupação”, contou o  secretário-geral do IAC.

De acordo com Manuel Coutinho, comparativamente com os anos anteriores,  esta “foi a preocupação que mais surgiu”, sublinhando que a Linha SOS Criança  serviu como uma “almofada psicoemocional”.

“Certamente que há uma correlação positiva entre a abertura dos jornais  e as preocupações que as crianças nos vão manifestando, até porque muitas  delas viviam numa situação socioeconómica melhor e hoje estão um bocadinho  mais privadas e isto fá-las perceber que algo está a acontecer, nomeadamente  no campo das restrições”, adiantou Manuel Coutinho.

Nestes casos, explicou o psicólogo clínico, a solução passa por “ouvir  com muita tranquilidade (…),de maneira a que a criança por ela consiga  perceber e intuir que há caminho para andar”.

Manuel Coutinho acrescentou que estes casos acontecem mais entre as  crianças com idade entre os 10 e os 12 anos porque “têm alguma perceção,  mas não têm conhecimento total” e não gostam de partilhar as suas angústias  com os pais.

Os telefonemas não foram todos eles feitos por crianças, e houve também  2.283 chamadas feitas por adultos. Do total de chamadas, houve 345 por causa  de crianças em perigo, 300 por situações de negligência, 256 por maus tratos  físicos, 151 por maus tratos psicológicos, 65 por abusos sexuais, entre  outros.

Do total de 2.760 chamadas, a Linha SOS Criança teve de dar encaminhamento  específico a 608 situações.

A maior parte dos contactos foi feito de Lisboa (538), logo seguido  do Porto (181) e de Setúbal, enquanto a maior parte das ocorrências foi  registada em Lisboa (626), Setúbal (605) e Porto (219).

A maior parte dos contactos foi feita à terça-feira (574), no mês de  maio (297) e a maioria das chamadas (677) durou até meia hora.

A Linha SOS Criança foi criada em 1988 e até hoje já recebeu mais de  120 mil apelos.

 

 


Entries e comentários feeds.