Universitários ainda têm preconceitos quanto a crianças adoptadas por gays

Novembro 5, 2012 às 8:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Divulgação, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia do Caderno P3 do Público de 28 de Outubro de 2012.

Texto de Lusa

Estudo da UP mostra que “preconceito relativamente à homoparentalidade subsiste”. Estudantes consideram que desenvolvimento sexual da criança pode ficar “em risco”, sobretudo se for um rapaz educado por duas mães

Os estudantes universitários consideram que alguns aspectos do desenvolvimento sexual da criança podem estar “mais em risco” se for adoptada por um casal homossexual, sobretudo se for um rapaz educado por duas mães, revela um estudo da Universidade do Porto.

O estudo “Homoparentalidades num contexto heteronormativo”, da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, a que a agência Lusa teve acesso, procurou caracterizar as atitudes face à homoparentalidade junto de estudantes universitários de dois tipos de cursos, uns de carácter mais tecnológico e outros vocacionados para a intervenção social.

Foram abrangidos 1.288 finalistas de Psicologia, Serviço Social, Educação Social, Sociologia, Medicina, Enfermagem, Ensino Básico, Educação de Infância e Direito. O autor do estudo “Homoparentalidades num contexto heteronormativo” recordou os 40 anos de investigação que evidenciaram, sobretudo, semelhanças entre as práticas parentais de casais homossexuais e heterossexuais e índices idênticos de adaptação psicológica de crianças educadas nos dois contextos. Contudo, “apesar destas evidências, constata-se que o preconceito relativamente à homoparentalidade subsiste”, disse à Lusa o investigador Jorge Gato.

Apesar dos mais jovens e educados tenderem a apresentar atitudes mais positivas face aos homossexuais, alunos de cursos tecnológicos consideram que alguns aspectos da “identidade sexual normativa” de uma criança estão mais em risco se esta for adoptada por uma família homoparental. Uma percepção visível sobretudo nos homens, segundo o investigador: ”Os inquiridos mostraram-se mais preocupados com a possibilidade de um rapaz educado por duas mães poder apresentar mais dificuldades na aquisição de comportamentos tradicionalmente masculinos”. “Os homens têm atitudes mais negativas em relação aos homossexuais, por considerarem que a identidade heterossexual está indissociavelmente ligada à sua identidade enquanto homens”, explicou.

Homossexuais “mais competentes”

Já os universitários de cursos de intervenção social consideram que os casais homossexuais são “mais competentes” nalgumas dimensões do que os heterossexuais. Por exemplo, consideram que “as crianças têm menos probabilidade de ser abusadas sexualmente nas famílias de lésbicas e gays mas, por outro lado, acham que estas famílias têm menor capacidade de transmitir valores às crianças”.

Contudo, numa situação hipotética, os participantes acabaram por atribuir, com maior probabilidade, a custódia de uma criança a uma família heteroparental. “Podendo ter origem numa antecipação de discriminação por parte da sociedade, este tipo de posicionamento tem implicações sociais e éticas importantes”, disse, considerando que “a expectativa de discriminação deve constituir-se como um estímulo para a sua erradicação e não como um factor de (dupla) discriminação de potenciais mães lésbicas e pais gay”.

“É importante, sobretudo, estas pessoas inquiridas fazerem um exame de consciência acerca do que é que neles existe de pessoal e valorativo que pode estar a afetar a forma como pensam acerca destas questões”, mas também é fundamental formação académica, considerou. “A homoparentalidade em si não é problemática, nem do lado dos pais, nem do lado das crianças, mas não me parece que esta informação esteja a ser suficientemente transmitida” nas faculdades, acrescentou o investigador.

O estudo sublinha que a crença de que a orientação sexual de mães/pais influencia a identidade sexual dos filhos “poderá ser um dos factores subjacentes à apreensão que a adopção por casais do mesmo sexo ainda suscita em Portugal”.

 

WORKSHOP – BULLYING : CONHECER PARA INTERVIR

Novembro 5, 2012 às 2:00 pm | Publicado em Divulgação, Forum Construir Juntos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

A EAPN Portugal ( Rede Europeia Anti-Pobreza) / Núcleo Distrital de Coimbra, com o apoio do Instituto de Apoio à Criança – Núcleo de Coimbra, realiza no dia 13 de novembro, no Centro de Formação Cristã Rainha Santa Isabel, em Coimbra, um workshop sobre a temática Bullying: conhecer para intervir, cuja dinamização estará a cargo do Prof. João Amado, Professor Associado da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra e com diversas publicações relacionadas com as problemáticas da indisciplina e da violência na aula e na escola, com a relação pedagógica e ainda sobre a história e a etnografia da infância.

Esta ação destina-se a Técnicos e a Outros colaboradores de entidades de ensino e apoio social, assim como à comunidade, em geral.

As inscrições devem ser realizadas até ao próximo dia 10 Novembro : EAPN Portugal / Núcleo Distrital de Coimbra

Estrada de Coselhas, Quinta da Conchada, Lote 19/20, 1º dto, 3000-125 Coimbra

Telefone 239834241 e fax 239840796

E-mail://  coimbra@eapn.pt

PROGRAMA e FICHA DE INSCRIÇÃO

Necessidades Educativas Especiais…a escola é para todos? 7 de Novembro Biblioteca Escola Secundária da Portela

Novembro 5, 2012 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação, Uncategorized | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Convidamo-los a participar no próximo encontro no âmbito do Pais INforma, agendado para o dia 7 de novembro, às 18.00H, no Auditório da Escola Secundária da Portela – Agrupamento de Escolas da Portela e Moscavide.

Esta sessão, intitulada “Necessidades Educativas Especiais…a escola é para todos?”, terá a presença da equipa de docentes da Unidade Especializada de Alunos com Multideficiência do Agrupamento de Escolas de S. João da Talha, da equipa de docentes da Unidade de Educação de Alunos com Espectro do Autismo do Agrupamento de Escolas da Bobadela e de uma encarregada de educação, partilhando as suas experiências, profissionais e pessoais, quanto às respostas da Escola face à deficiência.

Constituir-se-á seguramente um momento de aprendizagem para todos os participantes, sendo a presença gratuita e devidamente certificada.

Câmara Municipal de Loures

Departamento de Educação/ Divisão de Desenvolvimento Curricular Educativo

Tel.: 211 151 151/ 211 151 152

Fax.: 211 151 741

ddce@cm-loures.pt

 

6ª Edição do Dia da Consulta Jurídica Gratuita

Novembro 5, 2012 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

Para promover o acesso à informação e consultas jurídicas, o Conselho Distrital de Lisboa da Ordem dos Advogados instituiu o Dia da Consulta Jurídica Gratuita para que todos os cidadãos, nacionais e estrangeiros, possam consultar gratuitamente um advogado. O Instituto de Apoio à Criança é um dos parceiros institucionais que disponibiliza as suas instalações no Largo da Memória, 14, 1349 – 045 Lisboa, para a realização da Consulta Jurídica Gratuita no dia 08 de novembro de 2012, entre as 10h00 e as 17h00.

10º Congresso Internacional do CPR “Os desafios da proteção das crianças refugiadas”

Novembro 5, 2012 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Mais informações Aqui


Entries e comentários feeds.