Circo Matemático no Museu Nacional de História Natural e da Ciência

Outubro 15, 2012 às 6:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Mais informações Aqui

Semana Contra a Pobreza e a Exclusão Social!

Outubro 15, 2012 às 2:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Agenda da acções e inscrições Aqui

Durante esta semana decorrem, por todo o país, várias iniciativas com vista a assinalar o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza.

Em 2010 perto de 16% da população europeia encontrava-se em risco de pobreza. Em Portugal, esta percentagem era de 17,9% em 2009 e segundo os dados provisórios do Inquérito às Condições de Vida e Rendimento (EU-SILC) publicado pelo INE referente aos rendimentos de 2010 aumentou para 18%.

A crise económica agravou esta situação, expondo ainda mais os grupos vulneráveis. Como tal, a UE deve continuar a intensificar os seus esforços nesta luta, uma vez que se trata de uma questão fundamental nesta nova década, onde é desejável um crescimento sustentável e inclusivo. A redução da pobreza é o motor para esse crescimento.

De acordo com as organizações promotoras* «é necessário dar continuidade às iniciativas levadas a cabo desde 2010, porque mais do que nunca é necessário reafirmar e reforçar o empenho político em tomar medidas com impacto decisivo no que respeita à erradicação da pobreza».

Com esta iniciativa pretende-se mobilizar e sensibilizar a sociedade portuguesa para a problemática da pobreza e da exclusão social, enquanto efetivas violações dos mais elementares Direitos Humanos.

Para dar início a esta semana, as organizações promotoras convidam a comunicação social para um pequeno-almoço no dia 15 de outubro, no Hotel Vila Galé, em Lisboa, às 9h00, onde darão uma conferência de imprensa e que contará com a presença do Sr. Ministro da Solidariedade e Segurança Social Pedro Mota Soares.

Nesse mesmo dia, pelas 17 horas terá lugar a inauguração de uma exposição fotográfica no Dolce Vita Tejo, com testemunhos das iniciativas dos anos anteriores. Poderão ainda consultar, no blog, a Agenda que conta já com cerca de 70 iniciativas a realizar em todo o país.

 

+ INFO

http://pelocombatepobreza.blogspot.com/

* (Núcleo Executivo da Iniciativa: AMI, Amnistia Internacional, Animar, Comissão Social de Freguesia de Santos-o-Velho, EAPN Portugal e a Fundação Aragão Pinto)

 

 

Malala Yousafzai, a menina que lutou contra taliban, luta agora contra a morte

Outubro 15, 2012 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Notícia do Público de 12 de Outubro de 2012.

Por Cláudia Sobral

Eram muitas as noites em que Malala Yousafzai sonhava com soldados, helicópteros ou os taliban, também muitas aquelas em que não conseguia dormir. Mas tudo ficou ainda pior no dia em que a sharia (lei islâmica) passou a ser lei no Vale de Swat – uma concessão do Governo paquistanês para o cessar-fogo com os combatentes na região, em 2009.

Na noite de 14 de Fevereiro o pai pegava no rádio uma última vez para ter a certeza que nada tinha mudado, num gesto meio ingénuo, quase ridículo. Na manhã seguinte terminava o prazo dado pelos taliban: mais nenhuma menina poderia ir à escola. Malala, que já era conhecida pela sua luta pelo direito das mulheres à educação, foi. Apesar do medo.

“No caminho para a escola eles podem matar-nos, atirar-nos com ácido para a cara, fazer o que entenderem”, dizia então ao New York Times, que a acompanhava para o documentário Class Dismissed. “Mas eles não podem parar-me, eu vou ter a minha educação.” Tinha 11 anos.

No diário que escrevia para o site da BBC Urdu ja nessa altura (que assinava com o nome Gul Makai), descrevia a vida na sua cidade, Mingora, controlada pelos taliban. Insurgia-se sobretudo pelo direito das mulheres à educação. Via outros activistas mortos e exibidos pelas ruas e praças de Mingora, e sabia que um dia poderia chegar a sua vez.

Quando na terça-feira regressava da escola, apareceram dois homens armados que a atingiram na cabeça e num ombro. Gravemente ferida, está em estado crítico num hospital militar em Rawalpindi, a recuperar de uma operação à cabeça. Os próximos dias serão cruciais, não se sabe se sobreviverá ou não.

A jovem activista paquistanesa de 14 anos era já um símbolo da resistência contra os taliban do Paquistão – venceu o National Peace Award for Youth, no Paquistão, e foi nomeada para o International Children’s Peace Prize, da Dutch Kids Rights Foundation. Mas nos últimos dias o país esteve como nunca de olhos postos nela.

As orações semanais desta sexta-feira foram dedicadas a Malala por todo o Paquistão, dois dias antes as escolas tinham estado fechadas. O Presidente Asif Ali Zadari condenou o ataque, quis que ela fosse tratada no Dubai. No Vale de Swat são organizados protestos.

Os taliban já garantiram que se sobreviver voltarão a atacar. “Apesar de ela ser nova e uma menina e de os taliban não acreditarem em ataques a mulheres, qualquer um que faça campanha contra o islão e a sharia deve ser morto, segundo a sharia”, explicava há dias o porta-voz do grupo no comunicado em que o ataque foi reivindicado. “Não é apenas permitido matar uma pessoa assim, mas obrigatório.”

“Claro que vão tentar matá-la”, escreve o editor de política internacional da Slate. “Uma adolescente a falar no direito das mulheres à educação é a coisa mais assustadora no mundo para os taliban”, escreveu. “Ela não pertence a uma ONG estrangeira. Ela é muito mais perigosa do que isso: uma local, defensora do progresso da educação e do esclarecimento. Se pessoas como ela se multiplicarem os taliban não têm futuro.”

Pelo Paquistão já outras adolescentes disseram que não deixarão que o que aconteceu a Malala tenha sido em vão. Os dirigentes políticos fizeram o mesmo.

Um ícone

“Malala é o nosso orgulho. Tornou-se num ícone para o país”, disse o ministro do Interior, Rehman Malik. O primeiro-ministro, Raja Pervez Ashraf, foi visitá-la e pediu a todos os líderes paquistaneses que se juntassem a ele e o chefe das Forças Armadas, Ashfaq Parvez Kayani, afirmou que chegou a hora de “combater os que propagam esta mentalidade bárbara e os seus simpatizantes”.

Também Bushra Gohar, do Partido Nacional Awami, parte da frágil coligação governamental com o Partido do Povo do Paquistão (PPP) e no poder no Vale de Swat, já disse no Parlamento que “o tempo para acabar com o terrorismo chegou”.

Se este levará de facto à tomada de passos concretos na luta contra os taliban, que mantêm os alguns dos seus santuários no Norte, não se sabe ainda. Acontecerá o mesmo que em 2009, quando foi lançada uma grande ofensiva aos taliban depois de um vídeo de uma adolescente a ser espancada por um combatente? Para já não há movimentações militares no Vale de Swat, escreve o New York Times citando oficiais paquistaneses.O ataque contra a jovem activista, explicou num debate da Al-Jazira o presidente da Associação de Advogados Paquistaneses, Ahmad Malik, “prejudica a imagem do Paquistão tolerante que Malala representava”. Convidada no mesmo programa, Rubina Khalid, do PPP, disse que sentiu vergonha. “Não podíamos protegê-la e ela estava a lutar por aquilo por que devíamos ter sido nós a lutar. Devíamos ter sido nós na linha da frente, não ela.”

Malala dizia que queria estudar para ser médica. Mas esse era o seu sonho, como explicou numa das entrevistas para o documentário do New York Times. O pai queria que fizesse carreira na política. “Vejo um grande potencial nela. Ela pode criar uma sociedade em que um estudante de medicina possa facilmente tirar o seu doutoramento.”

 

Conferência – Permitir, Restringir ou Proibir (utilização da internet)

Outubro 15, 2012 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

16 de Outubro de 2012, Conferência subordinada ao tema “Permitir, Restringir ou Proibir” (utilização da internet), com a participação do Dr. Mário Frota, que irá decorrer no edifício da Biblioteca Municipal de Castelo Branco, entre as 10h00 e as 12h30.

CPCJ de Castelo Branco

Tlf: 272 344 603
Fax: 272 330 347

Email: cpcj@iol.pt

Participação de Dulce Rocha no Programa Sociedade Civil na RTP 2 sobre “Partilha parental e residência alternada”

Outubro 15, 2012 às 10:00 am | Publicado em A criança na comunicação social, O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

A Drª Dulce Rocha, Vice-Presidente do Instituto de Apoio à Criança, irá participar no Programa Sociedade Civil na RTP 2 no dia 15 de Outubro de 2012 pelas 14.00 horas. O IAC é parceiro do programa Sociedade Civil e tem participado num já considerável número de emissões, na generalidade trata-se de um conjunto de programas em que os temas se relacionam com os direitos das crianças, sendo matérias de verdadeiro interesse público.

Sinopse – A grande maioria da guarda de crianças é atribuída às mães. E apesar do conceito de guarda partilhada existir juridicamente, só 3% dos casos têm este desfecho em tribunal.

Mas que soluções existem para que as crianças convivam, de forma igual, com ambos os pais? A aplicabilidade da guarda partilhada é assim tão difícil? Com o fim de uma relação conjugal como se partilham responsabilidades? E quando não existe consenso entre o casal?

A guarda partilhada tem desvantagens? É benéfica para as crianças? Evita conflitos parentais? É ou não a solução para  superior interesse da criança?”

Convidados:

Ricardo Simões, Associação Portuguesa para a Igualdade Parental e Direitos dos Filhos

Dulce Rocha, Instituto de Apoio à Criança

Teresa Villas, Presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Sintra Ocidental

Quarto convidado a confirmar

II Feira de Recursos da CPCJ Lisboa Oriental

Outubro 15, 2012 às 6:00 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens Lisboa Oriental irá realizar no próximo dia 17 de outubro de 2012 – dia em que se assinala o Dia Mundial de Erradicação da Pobreza – a II Feira de Recursos da CPCJ Lisboa Oriental, no Auditório Fernando Pessa, situado no Espaço Municipal da Flamenga.

À semelhança da I Feira de Recursos, organizada por esta CPCJ no passado dia 30 de maio, pretende-se divulgar na Comunidade, mais concretamente junto das entidades que intervêm com crianças e jovens, quais os recursos sociais, educativos, de saúde ou outros relevantes, disponíveis na mesma Comunidade e como os mesmos poderão ser ativados, promovendo e facilitando a articulação inter-institucional.

Por outro lado e uma vez que se trata de uma Feira, solicitamos a todos os participantes que possam trazer qualquer material de divugação, para ser disponibilizado junto de outras Instituições ou Entidades que intervêm com crianças e jovens (brochuras, cartazes, folhetos, etc).

A entrada será livre e limitada ao número de lugares disponíveis.

Para esclarecimento de qualquer dúvida contacte a CPCJ através do telefone 218311233


Entries e comentários feeds.