Cada vez mais crianças recorrem a linhas telefónicas de apoio

Abril 26, 2012 às 9:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

Notícia do site Jornalismo Porto Net de 23 de Abril de 2012.

O Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do  Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança), é entrevistado na notícia.

Por Maria Eduarda Moreira

Têm vindo a aumentar as chamadas nas linhas telefónicas de apoio a crianças, tanto por parte do Instituto de Apoio à Criança, como do Provedor de Justiça.

Entre 2010 e 2011, registou-se um aumento na receção de chamadas na Linha SOS-Criança, do Instituto de Apoio à Criança e na Linha da Criança, do Provedor da Justiça.

De acordo com o coordenador Manuel Coutinho, dos 7663 novos casos recebidos em 2011 pela Linha SOS-Criança, 2864 foram realizados via telefone, 77 via atendimento psicológico, 668 via email e 3159 através de equipas de mediação escolar. O coordenador adianta, ainda, que a Linha recebeu 39 situações que envolviam crianças desaparecidas. Destas, “uma situação era falsa”, “uma referia-se a uma criança perdida”, outra a rapto por terceiros, 14 a raptos parentais, três a fugas internacionais e 19 a fugas de casa. Com 24 anos de existência, a linha já trabalhou 112504 situações.

Os casos de crianças “em perigo ou negligenciadas” são muitos, “assim como maltratadas física e psicologicamente”, afirma Manuel Coutinho. A linha é considerada por muitos como de “utilidade pública”, sendo “cada vez mais um serviço específico, pioneiro em Portugal, com o objetivo de dar voz e ouvir a criança”, assegura o coordenador.

A Linha SOS-Criança, do Instituto de Apoio à Criança (116111), foi criada a 22 de novembro de 1988, sendo anónima e confidencial e gerindo dois números europeus, que se dividem em prevenção e apoio a crianças em situação de perigo ou risco (116111) e em crianças em situação de abuso sexual ou desaparecimento. Manuel Coutinho afirma que o SOS-Criança se apresenta como um “serviço de prevenção que pretende, de forma direta e ou articulada, apoiar, orientar e encaminhar a multiplicidade de situações que diariamente são apresentados”.

Também a Linha da Criança, pertencente à Provedoria da Justiça e criada em 1993, recebeu 740 apelos no ano de 2011, entre os quais 158 chamadas estavam relacionadas com maus tratos e negligência, adianta o jornal Público.

Na mesma ordem, o jornal refere os dados relativos a este ano, sendo que, entre janeiro e 17 de abril, a linha já recebeu 216 pedidos, entre os quais 64 estariam relacionados com as responsabilidades parentais. No entanto, as carências económicas são também uma das situações sentidas por parte do Provedor, que, em 2011, recebeu 30 chamadas relacionadas com esta situação e já cinco em 2012.

Ainda segundo o jornal, em 2012 registaram-se 16 chamadas relativas a negligência, 15 com maus tratos físicos e psicológicos e 12 com a atuação das comissões de proteção de crianças e jovens.

Pós-Graduação em Psicopatologia e Psicoterapia da Criança e do Adolescente -2ª edição

Abril 26, 2012 às 12:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Coimbra 12 de Maio de 2012.

Por visar a prática profissional no âmbito muito específico da psicopatologia e psicoterapia com crianças e adolescentes, concebemos esta pós graduação pensando especialmente nos profissionais possuidores de habilitação prévia para este tipo de intervenção clínica e/ou que desenvolvam a sua actividade com crianças e adolescentes (Curso Superior em Psicologia / Especialidade em Psiquiatria ou Pedopsiquiatria). Esta formação implica assim o domínio prévio de noções básicas da psicopatologia/psicoterapia, indispensáveis a uma máxima rentabilização dos conhecimentos ministrados na mesma.

Mais informações Aqui

XI Hospital da Bonecada

Abril 26, 2012 às 11:45 am | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Mais informações Aqui

Linha Criança recebeu 740 chamadas em 2011, 158 por maus-tratos e negligência

Abril 26, 2012 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social, O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Notícia da Lusa de 22 de Abril de 2012.

O Dr. Manuel Coutinho (Secretário–Geral do Instituto de Apoio à Criança e Coordenador do  Sector SOS-Criança do Instituto de Apoio à Criança), é entrevistado na notícia.

Em 2011, 30 chamadas foram motivadas por carências económicas

A Linha da Criança da Provedoria de Justiça recebeu 158 chamadas devido a maus-tratos e negligência em 2011, de um total de 740 apelos, a maioria por questões relacionadas com o exercício das responsabilidades parentais.

A Linha da Criança foi criada em 1993, para acolher as queixas relativas a menores que se encontram em situação de risco ou perigo. Em relação a 2010, o serviço registou menos 53 chamadas. De Janeiro a 17 de Abril deste ano, já recebeu 216 pedidos, 64 dos quais relativos às responsabilidades parentais, o assunto que desde sempre tem motivado o maior número de pedidos, segundo dados avançados da Provedoria de Justiça.

Dezasseis chamadas recebidas este ano estavam relacionadas com situações de negligência, 15 devido a maus tratos físicos e psíquicos e 12 relativos à actuação das comissões de protecção de crianças e jovens (CPCJ). Em 2011, 30 chamadas foram motivadas por carências económicas, uma situação que levou cinco pessoas a pedir ajuda já este ano à linha gratuita do provedor de justiça (800206656).

Também o serviço de apoio à criança (SOS-Criança) tem registado um acréscimo no número de pessoas que ligam devido a dificuldades económicas, tendo assinalado, em 2011, 19 pedidos relacionados com a pobreza e 24 com a mendicidade.

“É verdade que cada vez mais pessoas estão a telefonar para o SOS Criança porque (…) não sabem como gerir os recursos que têm”, disse o coordenador do serviço, que falava à Lusa a propósito do “Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância”, assinalado em Abril com iniciativas por todo o país.

A coordenar o serviço desde a década de 80, Manuel Coutinho contou que sempre houve crianças a “viver situações de crise e muita dificuldade”. “Desde sempre existiram crianças em que o cinto estava muito apertado e era urgente dar-lhe todas as condições: bem-estar físico, psíquico e social, mas também era importante que essas crianças não estivessem privadas de alimento”, frisou.

Agora está a surgir uma situação nova: famílias que “antigamente” não eram abrangidas pela crise e começam agora a “sentir as dificuldades a baterem-lhe à porta” e, como consequência, as crianças são “privadas de algumas regalias que tinham anteriormente”. Contudo, vincou, “situações claramente de fome e de grande precariedade não estão a chegar ainda ao serviço SOS Criança”.

Para o psicólogo, “é muito importante que as pessoas aprendam a viver com menos, mas também é muito importante que as escolas e as comunidades escolares se organizem no sentido de poder apostar num melhor serviço às suas crianças”, nomeadamente na alimentação.

Desde que foi criada em 1998, a linha gratuita SOS-Criança (116111) recebeu 74.500 apelos, dos quais 10.719 mereceram um “encaminhamento especial”. Em 2011, houve 398 casos de crianças em perigo que foram encaminhados para toda a rede social. Também foram registadas 375 situações de negligência, 221 de maus tratos físicos na família e 147 de maus tratos psicológicos na família.


Entries e comentários feeds.