Pais de crianças com cancro não se divorciam mais do que os outros

Abril 18, 2012 às 12:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Notícia do Público de 11 de Abril de 2012.

O artigo mencionado na notícia é o seguinte:

Parental Separation and Pediatric Cancer: A Danish Cohort Study

Por Reuters

Os pais de crianças com cancro ficam sob um enorme stress emocional mas não têm mais probabilidade do que outros progenitores de se divorciarem ou separarem, conclui um estudo realizado na Dinamarca, agora publicado na revista científica Pediatrics, refere a Reuters.

“Havia o receio de que um acontecimento tão traumático como ter um filho diagnosticado com cancro pudesse conduzir ao divórcio”, justifica Christoffer Johansen, do Centro de Pesquisa em Cancro, em Copenhaga.

A amostra incluiu 47 mil casais dinamarqueses com filhos. “O que vemos é que os casais simplesmente aprendem a lidar com a situação”. Há casais de filhos com cancro que se divorciam, mas os números encontrados permitem concluir que não são em maior número do que os que não vivem esta situação.

O estudo teve como base um registo público de 2450 crianças que foram diagnosticadas com cancro, entre 1980 e 1997, e os pais de 44.853 miúdos que nunca tiveram cancro. Cada criança que teve a doença foi depois cruzada com cerca de 18 miúdos da mesma idade e sexo.

No espaço de 20 anos, a equipa de Johansen concluiu que os pais com filhos doentes não têm mais probabilidade de se divorciar ou, no caso de viverem juntos, de se separarem. O facto de a criança sobreviver ou não também não teve impacto nos resultados.

TrackBack URI


Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: