Pobreza que afecta as crianças portuguesas está “encaixotada” em edifícios altos

Março 6, 2012 às 9:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Relatório | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Notícia da Rádio Renascença de 28 de Fevereiro de 2012.

Relatório da Unicef para 2012 é dedicado à situação das crianças no mundo urbano, alertando para o facto de as cidades se estarem a transformar em sítios muito desiguais, onde as crianças com menos recursos ficam à margem.

A pobreza que afecta as crianças portuguesas é hoje “menos visível”, mas isso não quer dizer que não haja “muitos problemas” por resolver, defende a directora executiva da Unicef Portugal, sublinhando que embora as cidades ofereçam mais oportunidades , há crianças que ficam à margem.

A propósito do relatório “Situação mundial da infância 2012: crianças no mundo urbano”, divulgado hoje e que será apresentado em Lisboa ao início da tarde, Madalena Marçal Grilo, directora executiva da Unicef Portugal, não tem dúvidas: “Não podemos dizer que a pobreza urbana em Portugal tenha desaparecido, porque não desapareceu.”

“O facto de [as situações] estarem mais encaixotadas, em edifícios altos e que não se vêem, não quer dizer que (…) tenham desaparecido por si só. São é diferentes”, distingue.

Os bairros de barracas praticamente desapareceram em Portugal, mas, entre as “muitas pessoas que foram realojadas”, persistem “muitos problemas que não ficaram resolvidos”, assinala.

Crise reflecte-se nas crianças
“Sabemos que há muitos problemas… falta de condições de habitabilidade, muitas pessoas por habitação, exploração de crianças, abusos sexuais, muitas vezes propiciados pelas condições de habitação”, enumera Madalena Marçal Grilo.

“Estamos num período de crise, em que desemprego e cortes sociais estão a reflectir-se já na vida de muitas crianças”, frisa, reconhecendo, porém, que não há dados específicos sobre crianças que confirmem as impressões recolhidas no terreno.

O relatório da Unicef para 2012 é dedicado à situação das crianças no mundo urbano, alertando para o facto de as cidades se estarem a transformar em sítios muito desiguais, onde as crianças com menos recursos ficam à margem.

Os “mil milhões de crianças” que vivem actualmente em cidades grandes e pequenas estão a ser “excluídas do acesso a serviços essenciais”, conclui a agência das Nações Unidas para a infância.

 

Parlamento vai discutir obesidade infantil e juvenil

Março 6, 2012 às 3:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia do Público de 5 de Março de 2012.

Por Lusa

O combate à obesidade infantil e juvenil vai ser debatido, na quinta-feira, no Parlamento, com a apresentação de propostas do PSD, PS e “Verdes” sobre a doença que atinge um em cada três crianças e jovens portugueses.

Restrições à publicidade a alimentos para aqueles grupos etários e campanhas televisivas que alertem para as vantagens de fazer uma alimentação saudável e a prática de exercício físico fazem parte dos textos apresentados pelas formações políticas.

O PS considera que o excesso de peso nos jovens é um “problema de saúde pública” e refere que cada criança obesa custa ao Estado 680 euros por ano, 1,7 vezes o custo médio dos restantes menores.

Além de “ameaçar a sustentabilidade do sistema de saúde pediátrico”, a obesidade infantil aumenta a percentagem de jovens adultos afectados por doenças cardíacas, diabetes e cancro, entre outros problemas de saúde.

O PSD, partido que lidera a coligação governamental, acentua também os custos que o excesso de peso acarreta para o indivíduo e para a sociedade e reforça o leque de consequências apontando que a obesidade faz diminuir a esperança de vida entre cinco e 20 anos nas pessoas afectadas.

A regulação e vigilância da venda de alimentos junto às escolas (PS) e a criação de etiquetas para classificar os alimentos, em que o verde seria sinónimo de alimento recomendado (PSD), são outras das propostas integradas nos documentos que vão ser debatidos pelo plenário da Assembleia da República.

O projecto do Partido Ecologista “Os Verdes” dá especial atenção à publicidade e propõe alterações legislativas nesta actividade, como afirma já ter apresentado em 2006.

Os ecologistas defendem mesmo a proibição de anúncios na televisão e internet a produtos alimentares destinados ao público infantil e juvenil, com excepção dos que incentivem uma alimentação saudável, e querem que a fiscalização sobre a matéria passe a ser feita pela Direcção Geral da Saúde.

PSD e PS coincidem no recurso à comunicação social também para fazer passar mensagens que realcem as vantagens de crianças e jovens adquirirem hábitos de vida saudáveis.

Together with Children – for Children A guide for non-governmental organizations accompanying children in CRC reporting

Março 6, 2012 às 1:00 pm | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Descarregar o documento Aqui

This publication aims to provide a practical guide for NGOs to facilitate children’s engagement in all aspects of the CRC reporting process. It is based on the experiences of NGOs and children, and explores issues NGOs will need to take into consideration when supporting and promoting children’s involvement.

It should be used in conjunction with “My Pocket Guide to CRC reporting – A companion guide for children and adolescents willing to tell the United Nations Committee on the Rights of the Child about how children’s rights are respected in their country”.

Nas escolas de assimilação do Canadá as crianças nativas viviam num inferno

Março 6, 2012 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social, Relatório | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Notícia do Público de 26 de Fevereiro de 2012.

O relatório mencionado na notícia é o seguinte:

The Truth and Reconciliation Commission of Canada: Interim Report

 


Entries e comentários feeds.