Dados do Eurostat indicam diminuição de alunos no ensino obrigatório

Novembro 5, 2011 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , ,

Notícia do Portal Educare de 25 de Outubro de 2011.

 O número de alunos a frequentar o ensino obrigatório na União Europeia baixou na última década e no mesmo período a média de estudantes por professor no ensino primário rondou os 15 alunos, indicam dados do Eurostat.

Segundo as ‘Tendências de Educação 2000-2009’ a população estudantil a frequentar o ensino obrigatório baixou sete pontos percentuais entre 2000 e 2009.

Os dados divulgados hoje pelo Eurostat indicam que em Portugal o rácio de alunos por professor no 1.º e 2.º ciclos baixou de 12,4 em 2000 para 11,3 em 2009.

De acordo com os mesmos dados, o número de alunos por professor no 1.º e 2.º ciclos na União Europeia varia entre os 10 alunos em Malta, Lituânia, Dinamarca e Polónia e os perto de 20 em França e no Reino Unido.

O número de alunos por professor no 1.º e 2.º ciclos baixou na última década em 18 dos 22 estados membros, com a queda mais significativa a ocorrer em Malta (passou de 19 alunos por professor em 2000 para nove em 2009), na Lituânia (de 17 para 10), Letónia (de 18 para 11) e na Irlanda (de 22 para 16).

O relatório do Eurostat analisa todos os níveis de ensino, desde que os alunos entram no pré-escolar até que abandonam a escola.

No 1º ciclo, o ensino é dominado por mulheres, com uma média de 86% de professoras em 2009 na Europa a 27. Na República Checa, Eslovénia, Lituânia e Hungria mais de 95% dos professores deste nível de ensino são mulheres. Apenas em Espanha, na Dinamarca e no Luxemburgo esta percentagem se situa abaixo dos três quartos. Em Portugal este valor fixou-se em 2009 nos 79,6%.

Em média, 29% dos professores do 1º ciclo na Europa a 27 tinham em 2009 mais de 50 anos de idade. A proporção de professores com esta média de idade era particularmente alta na Alemanha (49%), Suécia (48%) e Itália (45%). As taxas mais baixas de professores com idades acima dos 50 anos foram registadas no Chipre (3%), Polónia (13%) e Eslovénia (18%). Em Portugal este valor atinge os 27.4%.

De acordo com os dados do Eurostat, em 2009, na Europa a 27, 92% das crianças desde os quatro anos até à idade de entrada no 1.º ciclo (seis anos) estavam inscritas na escola, contra os 86% registados em 2000.

Ainda de acordo com os dados do Eurostat, o número de anos que os alunos permanecem no ensino rondava os 17 em 2009, uma subida (mais 3%) face a 2000.

Contudo, há diferenças significativas entre os Estados-membros: Em Malta, na Bulgária e no Chipre os estudantes estão menos de 16 anos no sistema de ensino, em média, enquanto os estudantes finlandeses passam mais de 20 anos a estudar.

Os maiores progressos quanto ao número de anos que os alunos permanecem no sistema de ensino na última década foram registados no Chipre, Grécia, Turquia e em Portugal.


Entries e comentários feeds.