Pós Graduação em Psicopatologia da Infância e da Adolescência

Setembro 20, 2011 às 9:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

COIMBRA – Início a 19 de Novembro de 2011 – III Edição

LISBOA – Início a 03 de Dezembro de 2011 – IV Edição

HORÁRIO:

Sábados – 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00

 FASE DE CANDIDATURA:

COIMBRA  – até 15 de Outubro de 2011

LISBOA – até 03 de Novembro de 2011

OBJECTIVOS:

O Curso tem como objectivo geral a aquisição, o desenvolvimento e o aprofundamento de conhecimentos necessários sobre os principais quadros Psicopatológicos que incidem na infância e na adolescência no que se refere a diagnóstico, classificação, avaliação e intervenção psicológica, cognitivo-comportamental, para uma intervenção enquadrada nas boas práticas da Psicologia Clínica.

Exploração de situações clínicas com impacto no funcionamento Psicológico da Criança/Adolescente.

Conceptualização e discussão de Casos Clínicos.

  COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR:

– Formação científica completa, rigorosa, actualizada e prática em Psicopatologia da Criança e do Adolescente.

– Competência de avaliação clínica, diagnóstico e diagnóstico diferencial-

– Competências técnicas específicas de avaliação e intervenção.

– Capacidade de avaliação dos resultados da intervenção.

– Desenvolvimento de capacidade reflexiva crítica.

Mais informações Aqui

Encontro SER 2011 – Sexualidade e Educação em Reflexão

Setembro 20, 2011 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

A Drª Dulce Rocha, Presidente Executiva do Instituto de Apoio à Criança, irá estar presente no dia 8 de Outubro na Mesa Redonda 2 –  “Educação, Família e Felicidade”.

Notícia do Portal das Escolas

Numa iniciativa conjunta de quatro centros de formação de professores, realiza-se nos dias 7 e 8 de Outubro, no Estoril, o Encontro SER 2011 – Sexualidade e Educação em Reflexão, que pretende constituir um momento de partilha de práticas, ideias e projectos.

O programa inclui conferências, workshops e momentos de Educação pela Arte.

 Enunciam-se, a seguir, os conteúdos a abordar no Encontro, que é promovido pelos Centros de Formação (CF) de Escolas de Cascais, Oeiras, Loures Oriental e Prof. João Soares:
-Enquadramento da Educação Sexual em Portugal e no mundo.
-Desenvolvimento da sexualidade infantil e juvenil.
-Contributos para uma vivência positiva da sexualidade.
-Estereótipos de género.
-Sexualidade na deficiência.
-Quadro ético de referência: família, escola, direitos humanos e sociedade.
-Riscos e prevenção.
-A Educação Sexual no currículo e a formação de professores.
-A Educação pela Arte como estratégia de intervenção na Educação para a Sexualidade.

 O Encontro SER 2011 está reconhecido como uma acção de formação creditada.

 Para mais informações, referentes, nomeadamente, à inscrição e ao programa, consultar o sítio SER | 2011.

Participação de Dulce Rocha, Presidente Executiva do IAC no programa Sociedade Civil – RTP 2

Setembro 20, 2011 às 9:57 am | Publicado em A criança na comunicação social, O IAC na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , ,

A Drª Dulce Rocha, Presidente Executiva do Instituto de Apoio à Criança, vai participar no dia 20 de Setembro de 2011 entre as 14.00 e as 15.00 horas, no programa Sociedade Civil na RTP 2. Este programa é dedicado ao tema “Crianças em Risco” e é moderado por Fernanda Freitas. O IAC é parceiro do programa Sociedade Civil e tem participado num já considerável número de emissões, na generalidade trata-se de um conjunto de programas em que os temas se relacionam com os direitos das crianças, sendo matérias de verdadeiro interesse público.

Sinopse:

Crianças em risco

É um número inquantificável, mas certamente superior ao que uma sociedade desenvolvida pode aceitar o das crianças que se encontram em risco em Portugal. Muitas são sinalizadas pelas comissões de proteção de menores, mas muitas outras nem chegam a receber proteção do Estado. Os casos hoje em dia surgem nas mais diversas classes sociais e as crianças são vítimas do de agressões que vão das verbais às físicas. Será isto sinónimo de que o trabalho de educadores, escolas, profissionais de saúde e até a forma como a comunicação social trata assuntos relacionados com as crianças precisam evoluir?

Convidados:
António Ponces de Carvalho, Escola Superior de Educação João de Deus
Dulce Rocha, Presidente Executiva IAC – Instituto de Apoio à Criança
Ricardo Carvalho, Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco
Luísa Valle, Dir. Programa Gulbenkian de Desenvolvimento Humano

Monitoring Child Well-being in the European Union: Measuring cumulative deprivation

Setembro 20, 2011 às 6:00 am | Publicado em Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , , , , ,

 

Summary: The European Union is developing child specific indicators of well-being to complement the Laeken indicators on poverty and social exclusion. Though many child sensitive indicators have been proposed, none of the measures is sensitive to (changes in) cumulative deprivation, i.e. the degree to which a child simultaneously experiences a range of unfavourable conditions.

This paper describes and empirically tests a number of candidate measures of cumulative deprivation to monitor child well-being. The ideal measure is sensitive to (changes in) cumulative deprivation and, given its broad use in the policy community, has an intuitive interpretation. Using the 2007 wave of the EU-SILC data, we construct several headcount and adjusted-headcount measures of cumulative deprivation from a set of 13 deprivation indicators for Germany, France, The Netherlands and the United Kingdom. We test the impact of changes in the main methodological decisions: the exclusion of deprivation indicators, changes in the indicator threshold, changes in the cumulative deprivation threshold and changes in the weighting indicators. Our findings indicate that some measures are considerably more sensitive than others.

In the context of the search for child-specific indicators, we conclude that headcount and adjusted headcount measures of cumulative deprivation give relevant and complementary insights into child well-being and perform well in sensitivity tests. While the interpretation of headcount measures is somewhat easier, the adjusted-headcount is additionally able to monitor changes in cumulative deprivation and it is less sensitive to changes in the methodology. Within these two broad classes some non-trivial choices must be made and the adjusted-headcount with a cumulative deprivation threshold of one satisfies the evaluation criteria best. The relative measures of cumulative deprivation are problematic: not only are they very sensitive to changes in methodological decisions, but they are also more difficult to interpret. However, to monitor cumulative deprivation of children there is also a need for child specific indicators (rather than household level indicators) over a wider range of well-being domains.

Descarregar o documento Aqui


Entries e comentários feeds.