Bullying at School and Online : Quick Facts for Parents

Setembro 1, 2011 às 9:00 pm | Publicado em Livros, Recursos educativos | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

Descarregar o documento Aqui

Workshop “A Mala de Ludoterapia”

Setembro 1, 2011 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , ,

A Ludoterapia é uma forma de intervenção terapêutica realizada com crianças e adolescentes, na qual através do brincar, projectam o seu modo de ser. A utilização da mala de ludo tem como objectivo restabelecer/reorganizar o bem-estar psicológico da criança/adolescente. Esta técnica é facilitadora no trabalho com crianças, pois não exige a tradução em palavras das suas emoções, sentimentos e pensamentos. Na sessão de ludoterapia, a criança/adolescente brinca com os brinquedos disponíveis na Mala de Ludo. É da brincadeira que surge com os objectos existentes com a mala que o terapeuta tenta compreender e reorganizar o aparelho psíquico da criança/adolescente.

Programa:

  1. 1.Brincar como um diálogo
  2. 2.Teorias do Jogo
  3. 3.O objecto transacional de Winicott
  4. 4.Ludoterapia: Princípios Orientadores
  5. 5.Constituição da Mala
  6. 6.Representação simbólica dos elementos constituintes da mala
  7. 7.Análise de excertos de consulta psicológica com utilização da mala de ludoterapia.

Datas:

Lisboa: 1 de Outubro

Porto: 29 de Outubro

Horário:

Sábado (9:00 às 18:00)

Preço:

60€

Local:

Lisboa: Rua Nova da Trindade, Nº22, 1º Andar,  1200 – 303 Lisboa

Porto: Tr. Álvaro Castelões, Nº 79, 1º Andar, Sala 3, 4450-044 Matosinhos

 Mais informações Aqui

Pela sua saúde mental: saia de casa!

Setembro 1, 2011 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

Artigo do portal Educare do dia 3 de Agosto de 2011.

      Adriana Campos

  A mãe que está dia após dia sozinha com o seu bebé liga o ‘complicómetro’ de manhã e só o desliga provavelmente quando o marido chega, se este se disponibiliza para ajudar a cuidar do bebé…

Um dos maiores inimigos da mulher após o nascimento de um filho poderá ser o isolamento. Se bem que este isolamento poderá não existir nas primeiras semanas, à medida que os dias passam e as visitas deixam de aparecer, o tempo em que a mãe permanece só com o novo elemento da família é cada vez maior. 

O  isolamento poderá ser considerado um inimigo, na medida em que dificulta a análise da realidade por diferentes prismas. A mãe que está dia após dia sozinha com o seu bebé liga o ‘complicómetro’ de manhã e só o desliga provavelmente quando o marido chega, se este se disponibiliza para ajudar a cuidar do bebé. Se o pai é pouco colaborador então o ‘complicómetro’ permanece ligado dia e noite. Uma das estratégias possíveis para tornar tudo menos complicado é sair de casa.

A ginástica pós-parto é uma boa desculpa para sair, uma vez que o bebé poderá acompanhá-la, se não tiver com quem o deixar. Esta ginástica, segundo informações médicas, tem variadíssimas vantagens, nomeadamente trabalhar áreas específicas do corpo, fortalecendo-as com exercícios especiais. Os músculos da zona pélvica que são esticados e enfraquecidos pela gravidez e traumatizados pelo parto se não forem trabalhados podem provocar problemas de controlo intestinal e urinário. O exercício beneficia não só o corpo, mas também a mente, pois quando vão à ginástica as mães encontram outras em iguais circunstâncias, com quem podem trocar impressões e partilhar angústias. Esta partilha é fundamental para atenuar medos e afastar fantasmas. Além disso, a melhoria da aparência corporal contribui para que a mãe se sinta melhor com ela própria, aumentando a sua autoestima.

Se o seu filho tem avós disponíveis então aproveite bem a ajuda deles. Berry Brazelton, pediatra norte-americano, constatou a importância vital dos avós no desenvolvimento dos netos. Segundo ele ‘os avós são aliados naturais da criança e estão em excelente posição para ajudar a construir o seu equilíbrio e autonomia’. Ao aproveitar a ajuda deles ficará com um pouco de tempo para ir ao cabeleireiro, para fazer compras ou para fazer qualquer outra coisa que lhe dê prazer.

Dar um passeio a pé pode também ser uma excelente razão para sair de casa. Por um lado andar é um dos melhores exercícios para manter a boa forma e por outro se o bebé estiver rabugento mais facilmente adormecerá. Atualmente existe aquilo que eu costumo designar de ‘bolsas marsupiais’ (bolsas que permitem transportar o bebé junto ao peito). Dentro destas bolsas os bebés sentem-se tão confortáveis que dificilmente conseguem resistir a uma boa soneca. Andar a pé pode ser assim uma excelente terapia, quer para a mãe quer para o filho.

Se estas estratégias não resultarem procure outras, pois tenho a certeza que merece e será capaz de encontrar formas que lhe permitam reencontrar o equilíbrio perdido.


Entries e comentários feeds.