Nuno Crato elogia “heróis nacionais” das Olimpíadas da Matemática

Julho 27, 2011 às 9:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Notícia do Expresso de 24 de Julho de 2011.

Nuno Crato elogiou os “heróis nacionais” premiados nas Olimpíadas Internacionais de Matemática, definindo-os como um exemplo de que “é possível fazer muito melhor”.

O ministro da Educação e da Ciência, Nuno Crato, elogiou hoje os “heróis nacionais” premiados nas Olimpíadas Internacionais de Matemática, definindo-os como um exemplo de que “é possível fazer muito melhor” na matemática.

“É o melhor resultado de sempre nas Olimpíadas Internacionais de Matemática. Isto é um resultado inacreditável, muito bom. Trabalharam muitos professores durante muitos anos para que os nossos melhores jovens estivessem ao nível dos melhores internacionais. Chegámos a isso”, declarou Nuno Crato aos jornalistas no Aeroporto de Lisboa, enquanto aguardava a chegada da equipa portuguesa proveniente de Amesterdão.

“Nos melhores [alunos] já estamos com resultados extraordinários. Agora faltam todos os outros”

 

Este ano, e pela primeira vez, um aluno português conquistou uma medalha de ouro nas Olimpíadas. O medalhado, Miguel Martins dos Santos, de 16 anos, é aluno do 10.º ano da Escola Secundária de Alcanena.

Nuno Crato, que já foi presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM), frisou que os resultados portugueses nas Olimpíadas não podem ser comparados aos resultados nacionais, que “têm muito a desejar ainda” “Nos melhores [alunos] já estamos com resultados extraordinários. Agora faltam todos os outros”, disse o ministro.

O premiado, Miguel Martins dos Santos, foi recebido pelo ministro e por diversos familiares, amigos, pela presidente da Câmara de Alcanena e pelo deputado do CDS-PP José Ribeiro e Castro, presidente da Comissão Parlamentar de Educação.

Jovem normal? “Espero bem que não”

 

Aos jornalistas, o aluno reconheceu que a distinção foi “um bocado inesperada”, mas resultou de “muito trabalho”, preferindo destacar o mérito da equipa portuguesa e não tanto o prémio individual que recebeu.

Para o futuro, o jovem quer “continuar a estudar matemática” e seguir a via da investigação ou do ensino. Questionado sobre se é um jovem normal, Miguel foi lacónico: “Espero bem que não”.

Mãe é professora de matemática

 

A mãe do jovem, Isabel Martins, é docente de matemática e, admitindo não ter ficado surpreendida com a medalha de ouro do filho, reconheceu que a distinção foi “difícil” de atingir.

Miguel Martins dos Santos tem “uma vida normal” com a peculiaridade de ser “muito aplicado” no que à matemática diz respeito: “É um bom estudante”, disse a mãe aos jornalistas.

Também presente no aeroporto esteve o presidente da Sociedade Portuguesa de Matemática, Miguel Abreu, que definiu como “recompensador” o resultado obtido pelo jovem e pela equipa portuguesa.

O responsável falou também no panorama geral do ensino da matemática no país, alertando para “os resultados demasiado positivos muito devido a enunciados de exames demasiado fáceis” nos últimos anos, acreditando contudo que Portugal está “em 2011 um bocado melhor do que estava em 2007” no que às notas dos exames diz respeito.

A equipa portuguesa nas Olimpíadas Internacionais de Matemática conseguiu arrecadar – para além do ouro de Miguel Martins dos Santos – duas medalhas de bronze e uma menção honrosa. Dos seis elementos que compunham a seleção portuguesa a estas Olimpíadas, apenas dois não receberam qualquer distinção individual.

 

Acção de Formação “Intervenção com Famílias no Sistema de Protecção de Crianças e Jovens”

Julho 27, 2011 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

O Departamento de Formação Permanente  do ISPA, vai realizar a Acção de Formação “Intervenção com Famílias no Sistema de Protecção de Crianças e Jovens” nas seguintes datas :

Setembro:  24
Outubro: 1, 8, 15, 22 e 29
Novembro: 5

Objectivos

  • Sensibilizar para uma abordagem eco-sistémica e colaborativa no trabalho com famílias maltratantes
  • Conhecer modelos, estratégias e instrumentos de avaliação e intervenção com famílias maltratantes
  • Desenvolver competências de avaliação e intervenção com famílias no âmbito do Sistema de Protecção de Crianças e Jovens
  • Reflectir sobre a aplicabilidade dos modelos, estratégias e instrumentos de trabalho com famílias maltratantes aos contextos específicos de trabalho dos formandos

Competências

  • Saber avaliar e intervir com famílias maltratantes
  • Intervir com famílias maltratantes no âmbito do Sistema de Protecção de Crianças e Jovens

Programa

  • Abordagem eco-sistémica dos maus tratos a crianças e jovens (3h)
  • Vinculação e dinâmica familiar nos maus tratos a crianças e jovens (3h)
  • Avaliação de famílias maltratantes (6h)
  • Intervenção com famílias maltratantes (3h)
  • Intervenção multi-familiar (3h)
  • Colaboração inter-organizações no trabalho com famílias no âmbito do Sistema de Protecção de Crianças e Jovens (3h)

Mais informações Aqui

Avós e netos a cozinhar juntos nas escolas

Julho 27, 2011 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , ,

Notícia do Público de 7 de Julho de 2011.

Por Fabiana Pais

Série Ideias de Origem Portuguesa – Projecto Culinarium

Com o objectivo de combater a exclusão social dos idosos, surge o projecto Culinarium. “Em 2050, a média de idade da população portuguesa vai ser de 50 anos”. É com esta afirmação que Sandra Ramos, de 29 anos, começa a explicar o projecto ao P2. “O Culinarium promove o envelhecimento activo da população” e, cada vez mais, “temos de desenvolver novas actividades para ocupar os nossos idosos”.

A ideia de Sandra, oriunda da Bélgica e que fez equipa com Cristina Silva Bastos, de 28 anos, e Francisco Pereira Gomes, de 31 anos, é juntar avós e netos na cozinha, na escola. O Culinarium é uma das dez ideias finalistas do concurso promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação Talento, com o objectivo de premiar e pôr em prática uma ideia de portugueses na diáspora em colaboração com residentes.

O Culinarium quer combater dois problemas: o isolamento dos idosos e a obesidade infantil, através da promoção de uma alimentação saudável. Quem melhor do que os avós, que têm tempo, paciência e hábitos alimentares mais saudáveis, para iniciar as crianças às práticas agrícolas e à cozinha? “Novos saberes, novos sabores” é o slogan da ideia que deseja “partilhar receitas” e “reavivar a tradição gastronómica portuguesa”, reforçando os laços familiares.

“Tal como as crianças aprendem a ler, a escrever, a contar ou a fazer desporto, nós propomos que também aprendam a cozinhar para terem uma dieta equilibrada e uma vida mais saudável”, continua Sandra Ramos. Mas desenganem-se os professores se pensam que vão ter mais trabalho. É aqui que entram os idosos, os avós, para que tenham uma ocupação útil. “Vamos fazer com que as crianças e os avós sejam os embaixadores da alimentação saudável junto das famílias”, imagina Sandra Ramos.

Da teoria à prática, a ideia finalista quer lançar o projecto-piloto numa instituição em Cascais. “Queremos actuar junto das crianças mais novas, para combater o problema da obesidade de raiz, e não quando já estão com excesso de peso”, explica Sandra, que foi para Bruxelas há três anos.

Numa época de crise em que as hortas urbanas estão a ressurgir nas cidades, o projecto quer ainda levar as hortas para a escola, num “regresso ao que é tradicional, saudável e biológico”. A equipa quer partir de Cascais para o resto do país, tendo já programado datas concretas para a realização e expansão do projecto: a 12 de Janeiro de 2012, o Culinarium é implementado; sete meses depois, no início do ano lectivo de 2012/2013, a experiência poderá alargar-se a todo o país. De seguida, a equipa quer fazer intercâmbios “entre os vários núcleos” onde se aplicou a ideia Culinarium, juntando avós e netos de todas as regiões do país. “Queremos assim promover uma troca de experiências gastronómicas a nível nacional”. E depois virá o livro de receitas.

Para pôr o projecto no terreno, caso o Culinarium não ganhe o prémio de 50 mil euros do concurso Faz – Ideias de Origem Portuguesa, a equipa espera obter apoios das autarquias, à semelhança do que foi feito na Austrália, com o programa The Kitchen Garden Foundation, no qual Sandra Ramos se inspirou.


Entries e comentários feeds.