Sexting

Março 20, 2011 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Artigo do Portal Sapo, retirado no dia 14 de Março de 2011.

O fenómeno de se fotografar, ou filmar a si próprio, em momentos de intimidade e transmitir as imagens por MMS nasceu nos Estados Unidos, e em pouco tempo a mania espalhou-se pelo mundo inteiro.

A palavra nasceu da conjunção das palavras em inglês sex e texting (sexo e envio de textos) para referir-se a uma das principais vias de difusão de imagens, através de telemóveis, que circulam na Web. Sexting significa exibicionismo.

Hoje qualquer jovem possui um telemóvel com o qual pode filmar. Estas função é útil quando usada no bom sentido, o que nem sempre acontece. Proliferam no YouTube pequenos vídeos caseiros com cenas eróticas/sexuais, ou de agressividade, entre adolescentes. Uma brincadeira entre colegas pode hoje assumir proporções sérias.

Há pouco mais de duas décadas atrás, quando um grupo de adolescentes se reunia no balneário da escola ou do ginásio, o máximo de erotismo a que eles tinham acesso era uma revista que mostrava fotografias de mulheres desnudadas.

Nu frontal, só em publicações estrangeiras. Imagens de sexo explícito eram muito raras. As revistas eram escondidas e partilhadas pelo grupo, tudo no maior sigilo.

Agora, quando o toque para o intervalo dispara e um grupo de alunos deixa a sala de aula para colocar em dia a conversa com os colegas, muitos têm algo bem mais picante para mostrar no visor do telemóvel. O que os excita são as cenas de adolescentes nuas ou a praticar sexo.


Entries e comentários feeds.