Quase metade das crianças portuguesas nunca foram aconselhadas sobre segurança na internet

Fevereiro 21, 2011 às 9:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social, Estudos sobre a Criança | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , , , ,

Notícia do i de 4 de Fevereiro de 2011.

San Jose Library/ Flickr

San Jose Library/ Flickr

por Agência Lusa

Quase metade das crianças portuguesas que têm acesso à Internet nunca receberam qualquer tipo de aconselhamento sobre a sua utilização segura, revela o resultado de um inquérito sobre mediações dos usos da Internet.
Estes dados foram divulgados hoje, no âmbito de um estudo feito pelo EUKids Online, apresentado na Universidade Nova de Lisboa (UNL).
Segundo o investigador José Alberto Simões, da UNL, no que respeita ao aconselhamento aos jovens sobre a forma de utilização da Internet, são os pais e outros familiares que aparecem destacados neste papel.

Contudo, “um número muito significativo — 42 por cento — nunca recebeu qualquer tipo de aconselhamento por ninguém”, afirmou.

O estudo revela que, relativamente à forma como a mediação é feita, a maioria dos educadores fala com os filhos sobre a utilização da Internet (83 por cento), mas “a que seria mais interventiva – fazer actividades com os filhos — é a menos comum” (43 por cento).

Apenas metade dos pais está por perto quando os filhos estão no computador e só quatro em cada dez é que se sentam ao pé deles nessas alturas.

No âmbito da mediação “ativa” (em que há um envolvimento direto dos educadores), esta intervenção passa na grande maioria dos casos por explicar que há sites bons e maus (72 por cento).

No entanto, esta participação baixa consideravelmente quando se trata de perguntar ao filho se algo na Internet o incomodou (48 por cento) e mais ainda quando se trata de ajudar a criança com alguma coisa que a tenha incomodado (23 por cento).

O estudo revela ainda que as medidas restritivas apresentadas pelos adultos prendem-se, por ordem de importância, com dar informações a estranhos, fazer ‘uploads’ para partilhar com outros, fazer ‘downloads’ de músicas ou filmes, publicar o perfil numa rede social, ver vídeos na Internet e usar o correio eletrónico ou o Messenger.

Os pais verificam em primeiro lugar os sites visitados pelos filhos, o seu perfil, os amigos contactados e as mensagens enviadas.

Este tipo de “estratégia invasiva” pode conduzir ao “jogo do gato e do rato, em que o pai tenta saber o que o filho estava a fazer e o filho tenta ocultar o que estava a fazer”, afirmou José Alberto Simões, sublinhando que é uma estratégia que levanta questões de violação de privacidade e quebra de confiança.

Outro dado “importante”, na opinião do investigador, é a conclusão de que os amigos não são procurados para ajudar nas questões de segurança (aqui são os pais a quem os filhos mais recorrem), mas é com os amigos que “é feita a discussão sobre esses temas”, como sites de pornografia, por exemplo.

Os fatores socioeconómico e de género têm um papel fundamental na questão da mediação, pois são as raparigas e as crianças oriundas de estratos socioeconómicos mais elevados as que são mais “controladas”.

Em Portugal, a “mediação técnica” — utilização de ‘software’ específico para restringir acessos — é a menos utilizada e a “mediação restritiva” — imposição de regras para a utilização da Internet –  é a mais usada.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR: Metodologias de Abordagem/Intervenção

Fevereiro 21, 2011 às 4:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

OFICINA de FORMAÇÃO
25 Horas Presenciais + 25 de Trabalho Autónomo
2,0 U.C.
Formador: Eduardo Brito de Aranha

02 de Março a 09 de Maio de 2011.

Mais informações Aqui

Concurso Inês de Castro

Fevereiro 21, 2011 às 1:00 pm | Publicado em Divulgação | Deixe um comentário
Etiquetas: ,

“Os Percursos de Pedro e Inês, na modalidade de caça ao tesouro, são o desafio lançado pelo Concurso Inês de Castro, destinado a alunos dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário. Inscrições até até 25 de Março de 2011.”
Pode obter mais informação, aqui.

Crianças que tem uma dieta baseada em comida de plástico tem um QI menor

Fevereiro 21, 2011 às 6:00 am | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , ,

Artigo do Daily Mail de 8 de Fevereiro de 2011. “Danger of a junk food diet for children: Study reveals toddlers who eat more chips, crisps, biscuits and pizza have lower IQ.” Ler o artigo do Daily Mail Aqui

Ler o resumo do estudo  “Are dietary patterns in childhood associated with IQ at 8 years of age? A population-based cohort study” Aqui

O projecto de pesquisa da Universidade de Bristol – The Avon Longitudinal Study of Parents and Children (ALSPAC)

 

 


Entries e comentários feeds.