Já é difícil encontrar vagas nas instituições

Dezembro 10, 2010 às 1:00 pm | Publicado em A criança na comunicação social | Deixe um comentário
Etiquetas: , , , , ,

Artigo do Diário de Notícias de 6 de Dezembro de 2010.

O aumento do número de crianças em risco está a levar ao aumento de entradas nas instituições, confirmaram ao DN técnicos da área, ressalvando que esta é sempre a última alternativa e se aplica em menos de 10% dos casos.

Mas é também cada vez mais difícil arranjar vaga para acolher um menor. Até porque os que já lá estão demoram mais tempo a regressar à família, porque a crise dificulta a sua recuperação.

O procurador do Tribunal de Família e Menores de Lisboa, Celso Manata, reconhece que as instituições estão cada vez mais lotadas, ao ponto de terem de referenciar situações como se fossem de emergência apenas para garantir uma vaga imediata. “Não podemos dizer a uma criança, ‘continuas a ser maltratada porque não temos vaga para ti'”, sublinha.

No Barreiro, a situação também preocupa a presidente da comissão de menores. “É cada vez mais difícil arranjar uma vaga no distrito de Lisboa”, diz Rita Carvalho, acrescentando que esta dificuldade é partilhada pelas comissões da zona que recorrem ao sistema distrital de vagas da Segurança Social.

No Algarve, o aumento também é notório. “Houve um acréscimo do acolhimento, não dramático mas bem visível. Isso deve-se ao aumento da violência doméstica, que, por seu turno, poderá estar relacionada com carências económicas. É evidente que quando há disrupção familiar, há mais risco para as crianças”, disse ao DN Luís Villas-Boas, do Refúgio Aboim Ascensão. A instituição acolhe agora 89 crianças. Em 2009 eram 65.

A secretária de Estado da Reabilitação, Idália Moniz, negou ao DN que o sistema esteja lotado. “Não é verdade. Admito apenas dificuldade em colocar adolescentes.”

TrackBack URI


Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: